quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

E acaba mais um ano Santástico


Saudações alvinegras praianas! O último texto do ano... e que ano! É fim do ano de 2010! Um ano Santástico, aliás, mais um desses 98 anos de história do Peixe.

Lembro que no meu primeiro texto de 2010, falava sobre a felicidade de ver o fim do império de Teixeira, mas ainda sem esperança alguma de um grande ano. Acreditar sempre! Mas é preciso ter no mínimo bom senso, e o bom senso mostrava que este seria um ano de reconstrução. O clube estava afundado em dívidas e a vida não prometia ser nada fácil, aliás, não foi.

LAOR e sua equipe foram competentes. Conseguiram fazer contratações precisas para o time de futebol, técnicos e dirigentes. Conseguiu também renegociar as dívidas e estabeleceu limite para os gastos com o futebol. Sendo assim, mesmo com o Santos conseguindo pagar suas contas, até então não era possível vislumbrar nenhuma contratação de peso. Apostando na base que sempre lança ótimos nomes e na política do bom e barato nos reforços adquiridos, nem o mais otimista dos santistas acreditaria em resultados tão rápidos.

Uma vitória, uma derrota e um empate. Essa foi a seqüência dos primeiros resultados do Peixe no Paulistão, mas para quem entende de bola, dava para ver que estava surgindo um time encantador, de futebol veloz, atrevido, coletivo e goleador. Não demorou muito para o Santos ir para o topo do campeonato e ficar lá até o final da fase classificatória.

Com um time voando baixo, chamando a atenção de todos e um Robinho bastante infeliz na Inglaterra, doido para se preparar melhor para a Copa, o que parecia impossível virou uma sonho realizado. O Rei das Pedaladas estava de volta, em uma curta passagem, mas extremamente marcante. Robinho era a cereja do bolo, a peça que faltava para tornar o time inesquecível.

Campeão Paulista e da Copa do Brasil! Um dos melhores ataques da história recente do futebol brasileiro, top 15 entre os ataques do Santos, mesmo contando com ataques santásticos da década de 60. Repercussão nacional impressionante! Principalmente no primeiro semestre, era impossível falar de futebol sem falar do Santos. Internacionalmente, o Peixe também ganhou muito destaque. E não há o que reclamar.

Claro que ficou um gostinho de quero mais, se o Brasileirão viesse também seria ideal e a impressão é que dava, mas o relaxamento e vários problemas extra-campo impediram a tríplice coroa. Robinho foi embora, não tinha com ser de outra forma. O André, nosso grande 9, também foi. E até o Wesley, que voltou para sua redenção, também pegou caminho da roça, ou melhor, da Europa. O time sentiu muito a ausência deles, ainda perdeu o Ganso por lesão.

O maior problema foi a saída de Dorival. Juro que eu tinha esperança de ele voltar ainda no fim do ano, ele foi ótimo técnico, para mim, hoje é o melhor do Brasil. O Neymar foi extremamente execrado, mas superou. O Santos superou seus problemas e começa a consertar o que teve problemas e montar um bom time para 2011.

O Adilson Batista foi contratado. Não sei se é uma grande tacada, mas é o melhor que tinha no mercado, disso não há dúvidas. Com muito mais tempo para contratar, com uma análise de todo ano de 2010, o novo comandante fez seus pedidos, contratações e dispensas. Talvez, o Santos seja hoje o time mais adiantado nesse sentido.

Breitner, um baita jogador, foi para o Figueirense para ganhar experiência. Madson foi para o nosso recuperador de jogadores, Atlético Paranaense. Marquinhos voltou para o Avaí, o cara realmente não estava muito querendo saber de Santos e desejava voltar a seu time de coração, só acho que ele deveria ter um redução salarial, já que foi por empréstimo para lá e o Peixe bancará 30% de seus vencimentos. Maranhão foi com o Marquinhos, Zézinho foi para o Bahia. Ainda outros meninos da base foram emprestados para times como Santo André para ganhar experiência.

Nas contratações, o Santos vem liderando! Primeiro o maior reforço, por ora, dos times brasileiros, Elano, um baita jogador que será de extrema importância para esse ano que está para nascer. Também vieram Jonathan e Charles, lateral direito e volante. Espero que dessa vez acertemos na lateral direita, que está sofrida nos últimos anos e o volante comporá bem o meio-campo, já que devemos voltar a jogar com quatro no meio na falta de um grande terceiro atacante. Vieram também o goleiro Aranha e o meio Vitor Hugo, mas são jogadores para compor o elenco, até porque não vejo o Rafael sem a 1 hoje.

A baixa agora no fim do ano foi a saída do Jameli. Uma pena. Um baita cara, gosta do Santos, merecia ficar. A diretoria disse que procura um profissional com perfil diferente, parte do elenco também não topava com ele e sua saída era esperada no meio do Brasileirão, como não veio, achei que não sairia mais. Achei que o LAOR estava reconhecendo o bom profissional. Enfim, vida que segue também e agradeço ao Jameli pelo excelente trabalho que possibilitou esse ano Santástico.

2010 foi um ano que deu certo, houve muita competência nas oportunidades que apareceram. Sorte é a união da competência com a oportunidade.Os profissionais do Santos merecem parabéns! Marketing, Futebol, tudo! Principalmente o LAOR.

Espero que se mantenha o pé no chão, o Santos inovou no futebol brasileiro ao segurar Neymar e Ganso, ao trazer Robinho e depois Elano, mas sempre sem fazer loucuras, mantendo os pés no chão. Isso é importante. 2011 promete e estaremos aqui torcendo para que tenhamos mais um ano Santástico!!! Vai, Santos!!!

Nenhum comentário: