segunda-feira, 26 de julho de 2010

Renovação na seleção? Só nos nomes....


Para falar da seleção eu poderia começar mudando a frase para: Saudações verde-amarelas! Mas não é incorreção nenhuma começar com “Saudações alvinegras praianas!”

Mano Menezes faz sua primeira convocação e tem como base ofensiva o ataque que mais criou e fez gols no Brasil em 2010, o ataque do Peixão. O Santos emplacou 4 jogadores nesta primeira convocação: André, Neymar, Ganso e, ‘o veterano’, Robinho. Mas falemos de tudo e não só do Peixe, pois a seleção merece mais atenção.

Primeiro que para mim, Mano Menezes já chega com uma boa desculpa para ser mandado embora. O ex-técnico do Corinthians foi a terceira opção da CBF. A entidade está sem crédito mesmo e grandes técnicos não quiseram largar compromissos certos com seus atuais clubes para entrarem na gelada incerta que será comandar a seleção brasileira, que, ao contrário que foi na Era Dunga, sofrerá muito mais influência nas convocações por parte da opinião pública e patrocinadores.

Sinceramente, eu não gosto do trabalho do Mano. O único título de expressão nacional na carreira dele foi uma Copa do Brasil, é muito pouco para um treinador assumir o cargo máximo do futebol brasileiro. Tudo bem que antes estava lá o Dunga que nunca nem tinha sentado em um banco como treinador de um time várzea, mas se a idéia não é insistir nos erros, vejo que novamente vamos colocar um treinador com pouca experiência e ainda pouco vitorioso. Corinthianos podem falar mais do que eu, o Mano é mais um futebol de resultados, retranqueiro e acaba se perdendo muitas vezes por isso.

Felipão era o preferido da CBF e da maioria dos brasileiros. Mas Ricardo Teixeira queria quase um pedido de desculpas do técnico pelo último ‘não’ para fazer um convite oficial para ele. Felipão é vitorioso demais e está ganhando muito no Palmeiras para se rebaixar a esse papelão. Muricy era o segundo da lista, mas o técnico, que tinha apalavrada uma renovação de contrato com o Fluminense por dois anos, preferiu cumprir sua palavra e recusar o convite de assumir a seleção, mesmo depois de um oba-oba incrível que o dava como novo técnico da seleção. A cena foi de pastelão, eu nunca tinha visto algo tão mal feito, negociado, pensado e ridículo em termo de seleção. Apesar que eu acho que isso tudo foi um circo. Adílson já estava acertado com o Corinthians antes mesmo de o Muricy responder se iria ou não para seleção. Então, entendam como quiserem.

A credibilidade da CBF é a mesma que a de muitos políticos. Ninguém em sã consciência nega a seleção brasileira por negar. Nega porque sabe que o negócio é feio, tem politicagem demais, porque tem que ficar sob a batuta de um ditadorzinho. E talvez nisso o Mano se enquadre melhor mesmo, já que ele caminhava muito bem e bem do jeito que o Andrés Sanchez queria no Corinthians.

Mas eu acho que começamos mal de novo. Mais um treinador, mais uma limpeza e mais uma vez a idéia está errada. A questão da seleção não é o bom ou o mau humor, não é ser aberta ou fechada, não é se uma patota de jogadores pouco badalados ou muito badalados. A questão da seleção é que ela tem que conter os melhores do momento. E mais uma vez acredito que isso não irá acontecer.

Mano convocou uma seleção renovadíssima e com jogadores que estarão praticamente com quase todos com menos de 30 anos em 2014. Isso é bom, é legal ver novas caras. É legal inclusive ver antigas caras por lá, como Robinho, Daniel Alves e Ramires. Mas de qualquer forma a idéia e formar um grupo para 2014, começar a fechar um grupo. E isso é problemático.

Claro que é necessário criar uma base, claro que alguns jogadores que vierem se destacando, jogarem bem nesses testes, nesses muitos amistosos, já que o Brasil não estará nas eliminatórias, claro que esses jogadores começarão a garantir seu lugar na seleção e na Copa, conseqüentemente. Mas isso não quer dizer que alguém pode ter lugar cativo lá. O jogador que quer defender a seleção tem que estar voando em seu time, ser titular, ser destaque.

A seleção do Brasil é pentacampeã, o Brasil exporta jogadores a torto e a direito. Então, não podemos nos contentar com pouco. Se a Polônia tiver um jogador na reserva do Barça, é capaz dele ser o melhor jogador daquele país mesmo. Mas o Brasil não! O Brasil tem ótimos jogadores atuando aqui e nos principais campeonatos e times do mundo, não dá para aceitarmos o terceiro goleiro da Roma em hipótese nenhuma, porque esse goleiro um dia foi campeão de uma Copa América há dois anos atrás. Ninguém pode ter lugar cativo, o cara tem que estar sempre a espreita, nunca ter certeza da convocação, para jogar muito sempre e estar na sua melhor forma. Para mim, essa é que tem que ser a idéia principal para pensar na formação da seleção brasileira para 2014.

Chega de Patotas! Chega de seleção da Nike, mas chega também de seleção dos amigos do Anão. E vejamos se nisso o Mano será diferente.

Mas ele já começou surpreendendo. Eu esperava uma convocação misto de Santos com Corinthians. A parte do Santos estava lá, mas impressionantemente a do Corinthians não. Só Jucilei, que nem vinha sendo escalado pelo próprio Mano no Corinthians, foi chamado. Espero que eu esteja errado, mas a diretoria do Corinthians recusou uma proposta do Dínamo pelo jogador e havia uma especulação que um time da Inglaterra o queria. É sabido que para ir à terra da Rainha, uma passagem pela seleção ajuda muito. Espero que essa “ligação de pontos” que eu fiz não tenha sentido, isso tudo seja apenas uma coincidência.

Quanto aos outros nomes, nada a reclamar. Os goleiros são bons. Fiquei feliz com a convocação do Renan do Avaí, parece ser muito bom goleiro, não entendi muito o Jefferson do Bota, mas de fato a fase de goleiros não é das melhores no Brasil. O titular da meta deve ser o Victor do Grêmio mesmo. Os zagueiros são o Thiago Silva (Milan) e o Henrique (Barcelona), Réver (Atlético-MG) e David Luiz (Benfica).

Nas laterais achei todos nomes bem pertinentes: Daniel Alves (Barça) e Rafael (Manchester) para a direita e Marcelo (Real) e André Santos (Fenerbahçe) para a esquerda. Aliás, os dois laterais esquerdos já deveria ter ido para a África, e olha que nem sou muito fã desse André, mas com certeza ele é melhor que o Michel Bastos e o Gilberto.

No meio campo, talvez seja onde eu discorde um pouco mais. Acho que Arouca (Nosso... hehehe) , Elias e Bruno César (os dois do Corinthians) deveriam ter uma chance. O Arouca é o melhor volante em atividade hoje no Brasil, o Elias o segundo e o Bruno César vem comendo a bola no ex-time do técnico. Não entendi nada só o Jucilei ainda. Os outros nomes são: Lucas (Liverpool), Hernanes (São Paulo), Sandro (Internacional), PH Ganso (Nosso), Ramires (Benfica), Carlos Eduardo (Hoffenheim) e Ederson (Lyon). Agora quem é o tal de Ederson também, né? Mas vamos ver antes de cornetar.

No ataque, eu só discordo do Pato (Milan), acho que não vem jogando bem, mas acho que vem meio que na onda dos pedidos populares, ou para dar uma moral para o atacante que está pagando uma pensão pesadíssima à espertíssima atriz global. Os outros são Robinho, André e Neymar (tudo nosso... hehehehe) e o Diego Tardelli (Atlético-MG).

As únicas alterações que eu faria seriam as saídas do Pato, Ederson e Jucilei para entrar com Arouca, Elias e Bruno César. E meu pitaco para seleção titular: Victor; Daniel Alves, Tiago Silva, Réver e Marcelo; Luccas, Hernanes e PH Ganso; Robinho, André e Neymar.

Acho que Afonsos e Hulks continuarão aparecendo, a banda continuará a ser tocada do mesmo jeito. Espero que uma luz alumie os pensamentos do Mano e que ele não comece a fechar sua patota. A seleção de 2014 tem que ser campeã, a tristeza de 50 não é o meu medo. Acredito que um novo pastelão com o desse ano fará com que o interesse no futebol diminua muito e principal país do mundo da bola, deixe de ser uma potência. O futebol pode acabar virando Fórmula-1, se é que vocês me entendem. Né, Sr. Massa?

É isso. Sorte para nós, que amamos a nossa seleção, amamos o futebol, mas ainda vemos muito amadorismo e sacanagem por parte de quem administra o esporte.

Nenhum comentário: