sexta-feira, 4 de junho de 2010

Líderes

Corinthianos, o Brasileiro começou, já conta seis rodadas e nós somos líderes. Que beleza! Mas enquanto não levantarmos o caneco nada de oba-oba.


Nada de oba-oba, porque temos de reconhecer que nas quatro primeiras rodadas o coringão jogou um futebol de "dar azia em sonrisal" como diz a expressão... Um jogo pior que o outro. Contra o Atlético Paranaense, eu estava no estádio, e foi um negócio complicado, mas o time do Paraná houve por bem lançar naquela ocasião a sua candidatura ao rebaixamento e nos demos bem. Contra o Fluminense, só não perdemos porque o Fred estava ruim de mira.


Mas eis que o Bruno César chega ao clube e põe uma idéia nova à cabeça do Mano: time jogando para a frente no esquema 4-4-2.

Logo na primeira partida assim, contra o Santos, o time foi outro, melhor, e impôs aos meninos da vila uma derrota bem sonora: 4 x 2. Claro que teve santista reclamando do gol anulado de Marquinhos e do empurrão de Elias em Dracena. Só que o Marquinhos estava mesmo impedido e o Edu Dracena foi empurrado porra nenhuma.


Ontem, contra o Inter, voltamos a jogar bem e a ganhar. Não foi fácil, porque o Inter estava marcando em cima (aliás, tenho de reconhecer que o Guiñazu é um baita de um meio-campo) e ficou mais com a bola, embora chutasse menos ao gol – por volta dos vinte do primeiro tempo, o Inter tinha chutado 2 vezes e o Corinthians, 3. O bom foi que o pênalti para a gente veio na hora em que o Inter estava melhor. Foi estranho esse pênalti, porque na hora pareceu não ter havido nada. Mas é foda você ver a repetição, o Sorondo empurra o Danilo na caruda, e dizer que não marcaria. Foi bem na frente do juiz. E foi esse o primeiro tempo.

Bem no começo segundo tempo, o Iarley, que não dava aquele espetáculo, fez um gol. Depois, o time se acomodou, criou mais algumas chances, mas nada de muito concreto. Talvez o melhor momento tenha sido aquela arrancada do Dentinho que o Bolívar, último homem, interrompeu com um carrinho: o amarelo saiu baratíssimo para ele. De resto, o Inter dominou, mas graças à péssima fase do Kléber – aquele... – não arrancou nada da gente. Talvez, se o Deferico tivesse entrado no lugar do Iarley, pudéssemos ter ameaçado mais os gaúchos.


O próximo jogo é contra o Botafogo, no Engenhão. Acho que dá para manter a invencibilidade e a liderança pré-Copa. Vai, Corinthians!

26 comentários:

André Henriques disse...

Olha... aí está uma contradição, não ver a falta do Elias no Dracena e ver pênalti ontem. São lances no mínimo semelhantes. Quanto ao Marquinhos, uma vez que a bola é chutada pelo Chicão e bate em outro jogador do Corinthians, e no início da jogada (quando o passe é ainda de uma jogador do Santos) o Marquinhos não está impedido, então, o impedimento foi muito mal marcado.

Claro que o jogo já foi, mas a estatística é essa 6 jogos e 6 apitadas pró-Corinthians. Os últimos 2 jogos do Corinthians foram bons e até merece estar bem no campeonato, mas sempre fica isso no ar. Como o Palmeiras ano passado que teve trocento pênaltis marcados a favor dele, o time mais beneficiado pela arbitragem em 2009 junto com o Flamengo.

Agora é só vocês não repetirem a mesma derrapada do Palmeiras.

Cristian disse...

(Versão sem erros de concordância, hehehe)

Sobre o impedimento do Marquinhos, não sou eu quem falo:

- Vitor Birner: http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2010/05/30/corinthians-mais-lider-ainda-vence-o-classico/

- Mauro Beting: http://blogs.lancenet.com.br/maurobeting/2010/05/31/errei-ednilson-corona-acertou-perdao-corinthians/

E se vc assiste ao programa do Juca Kfouri no UOL, sabe que ele também confirma o impedimento. Ah, vale lembrar que o Mauro Beting é árbitro formado.

Quanto à não-falta do Elias e ao pênalti de ontem, os dois lances são muito diferentes. Pra começar, um lance é jogada aérea e o outro não. Em todo o caso, se vc quiser tentar ver o inexistente, pare esse vídeo aos 11 segundos: http://www.youtube.com/watch?v=zBNWC55wcIU . Bem diferente do pênalti de ontem, que foi um empurrão descarado na frente do juiz. Ah e a não expulsão do Bolivar, último homem, num lance de gol tá beleza, né?

Enfim, o campeonato ainda está começando e não tem nada ganho. Nem dá pra comparar com o Palmeiras ou com outros times, que hoje muito fariam se tratassem de jogar bola.

André Henriques disse...

Quando a bola é chutada pelo Chicão e bate no jogador do Corinthians o Marquinhos está a frente mesmo, mas isso não é impedimento. Só está impedido o jogador quando o passe sai de seu companheiro de time. Se, por exemplo, o Marquinhos tivesse a frente no toque do jogador do Santos e depois aproveitasse essa posição para roubar a bola e fazer o gol, aí teria que marcar impedimento. Mas não foi o caso. Apesar de serem comentaristas muito mais renomados do que eu, Juca, Mauro e Birner estão analisando o lance de forma errada. Por isso o lance é simples de ser analisado e o erro grotesco, na minha opinião.

Quanto ao lance do Elias, claramente o braço dele tira o equilíbrio do Dracena que está subindo para cortar o cruzamento. Desequilibrado ele corta mal o cruzamento e ainda cai depois. E eu estou revendo no globoesporte.com o lance do pênalti de ontem, se você acha que o braço do Elias não é o suficiente para derrubar o Dracena, não entendo como o braço do Bolívar pode ser o suficiente para derrubar o Danilo. E ele ali não é lance claro de gol, o cartão amarelo era o suficiente.

Cristian disse...

É preciso ter fé para ver a bola bater no jogador do Corinthians ali. Mas tudo bem, o torcedor sempre acredita, contra toda a esperança. Vamos à regra da FIFA (Laws of the Game 2010/11, pág. 91):

“Ganhar uma vantagem por estar em posição de impedimento significa ficar com a bola que dá rebote da trave ou do travessão ou jogar a bola que dá rebote de um oponente estando em uma posição de impedimento”.

E do Edu Dracena, olha, não vi nada ali. Aliás, só o Edu Dracena viu: ninguém na imprensa esportiva comenta o fato. Mas, como o time do Ceará sabe, o Santos é sempre prejudicado pela arbitragem, né?

Sobre o lance entre Dentinho e Bolivar, o cara sozinho na cara do gol, o último jogador dá um carrinho que só acerta o atacante e não é lance claro de gol? Ok...

Cristian disse...

correção: o texto do impedimento está na página 100 ;-)

André Henriques disse...

O Chicão chuta e bate no jogador do Corinthians. Ainda sim, a regra diz exatamente o que eu disse. Se o cara está em posição de impedimento (momento do passe do jogador do próprio time) e no rebote ele faz o gol, mesmo que batesse em jogador do outro time, o lance tem que ser anulado. Não é o caso. Quando a bola parte do jogador do Santos, o Marquinhos não está impedido. Vamos dizer assim, dá tiro de meta e o jogador saiu com bola e tudo. Se o goleiro bater curto, os zagueiros tentam trocar passe e o cara volta e intercepta o passe, ele pode fazer o gol. Se o cara está lá na banheira, o time dele chuta a zaga corta e tenta colocar a bola em jogo, mas erra e bola sobra para ele, ele está impedido e não pode fazer o gol. Quando se caracteriza o momento do impedimento? Essa é questão que o pessoal não pára para analisar. O momento do impedimento se caracteriza no momento do passe e esse passe é do jogador do mesmo time e não do adversário.

Eu não estou falando do Santos, a questão é o Corinthians Brasileirão 2005 reload.

O lance do Edu Dracena na hora os jogadores do Santos pediram o empurrão, aliás, na hora o Durval levanta o braço. Mas eu acho meio de jogo, difícil o lance, apesar de coisas claras como a queda dele e o cabeceio desiquilibrado. Agora, o que eu cornetei em seu comentário foi o fato de você achar que foi pênalti ontem e não foi falta no Dracena, lances semelhantes que por você foram interpretados de formas diferentes. hehehehehehehehe... Corneto mesmo! hehehehehehehehe

Quanto a esse lance do Dentinho eu não, pensei que você estava falando do pênalti, mas agora vi que foi outro zagueiro que fez o pênalti. Preciso ver o lance para opinar.

Cristian disse...

A regra diz exatamente q se o cara em posição de impedimento pega um rebote, de quem quer q seja, comete uma infração (off-side offence). A regra não diz o que você disse.

E eu continuo achando: pênalti ontem, nada no jogo contra o Santos.

E dá-lhe discussões futebolísitcas na sexta modorrenta. =)

André Henriques disse...

Então, pega rebote em posição de impedimento. Como ele está em posição de impedimento? O que caracteriza o impedimento é o passe do jogador do Santos. Veja da página 102 em diante todos os lances onde tem exemplos de impedimento e você verá o que estou falando. E acabei de falar aqui com minha irmã, que é árbitra formada, e ela falou a mesma coisa que eu. hehehehehe... ou seja, sou mais a minha irmã que o Juca. kkkkkkkkkkkkkkk

Acaba sexta! Acaba!

Cristian disse...

Ok, com a palavra André Henriques:

"Quando a bola é chutada pelo Chicão e bate no jogador do Corinthians o Marquinhos está a frente mesmo, mas isso não é impedimento. Só está impedido o jogador quando o passe sai de seu companheiro de time."

Penso q o André quis dizer: o Marquinhos estava à frente, mas como a bola foi rebote (foi?) de um jogador do Corinthians, então não foi nada.

Mas aí a regra diz que o jogador que pega esse rebote comete infração, pq se beneficia de uma posição de impedimento. Logo, infração. Enfim: parem de chorar. E todos os desenhos só mostram o jogador q chega na bola vindo de trás.

André Henriques disse...

Não é uma questão de rebote. É uma questão que o passe não veio do jogador do Santos e só se caracterizaria impedimento se o passe fosse do jogador do Santos. Minha irmã foi além na explicação. Se o cara está lá na bandeirinha de escanteio arrumando o sapato, aí tem um cruzamento na área e a defesa fica com a bola, sai jogando errado e passa para aquele atacante lá na bandeirinha, ele pode fazer o gol. A posição de impedimento, só existe na hora do passe do jogador para outro jogador do mesmo time.

O que eu queria dizer com os desenhos é exatamente isso, todo lance de impedimento tem origem no passe do jogador do mesmo time. Se o cara estiver na frente da área, entre ele e a linha de fundo só tem o goleiro, aí goleiro faz uma 'agada' chutando a bola forte no zagueiro mais próximo e bola sobra para o atacante, ele pode fazer o gol nesse rebote.

O Marquinhos estava a frente, mas não em posição de impedimento. Só estaria em posição de impedimento se a bola viesse de um jogador do Santos, o que não acontece.

Cristian disse...

ok, mais uma vez, a regra:

“GANHAR UMA VANTAGEM POR ESTAR EM POSIÇÃO DE IMPEDIMENTO SIGNIFICA ficar com a bola que dá rebote da trave ou do travessão ou JOGAR A BOLA QUE DÁ REBOTE DE UM OPONENTE ESTANDO EM UMA POSIÇÃO DE IMPEDIMENTO”.

não podia ser mais claro.

André Henriques disse...

Eu também não vejo como poderia ser mais claro. O rebote seria no caso da bola ter chegado ao jogador do Santos através de um chute ou passe de outro jogador do Santos. Para ser impedimento, no momento que o André está com a bola, o bandeirinha tinha que ver o Marquinhos em impedimento e entender que ele está participando do lance. E de maneira nenhuma é o caso, pois ele não participa da jogada, nem está em posição de impedimento, pois se ele está a 44 cm impedido na hora do chute e o Chicão anda para dar o bicão, com certeza no mínimo ele está na mesma linha quando o André perde a bola.

A bola escapa do André e o Chicão vem para isolar e bate no outro jogador do Corinthians. Nesse momento além de ser outro lance, o permitiria até que num primeiro momento o Marquinhos pudesse estar lá junto a trave, o Marquinhos não recebe toque de ninguém do Santos. A bola vem duas vezes de jogadores do Corinthians.

Só existe posição de impedimento quando a bola é lançada, tocada ou chutada por jogadores do mesmo time. Se os defensores erram o chute, mesmo que o atacante não tenha nenhum defensor na mesma linha ou a frente dele, não haverá impedimento. O momento do impedimento se caracteriza pelo passe.

Nesse caso, o que você está destacando na regra é extamente as figuras 9, 10 e 12. Não existe impedimento quando a bola é lançada por jogador do time adversário. E rebote é diferente de lançamento, o Chicão não dá rebote, sim lançamento, um chutão. Se tivesse batido no André, aí sim seria impedimento, mas não pega no André.

André Henriques disse...

ah... segue o link do lance. http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1273348-7824-ANULADO+MARQUINHOS+MARCA+NO+REBOTE+MAS+O+ARBITRO+VE+IMPEDIMENTO+AOS+DO+TEMPO,00.html

Veja o momento que o André perde a Bola, o Chicão corre e chute, nesse momento é outro lance e não é um rebote.

Não é choro, até pq não foi só isso que decidiu o jogo. Mas é que o pessoal não analisou corretamente o lance, na minha opinião, pois ninguém se ateve a questão primordial do impedimento que é o passe.

Cristian disse...

No detalhe:

"REBOTE DE UM OPONENTE"

Ou seja isto: " O rebote seria no caso da bola ter chegado ao jogador do Santos através de um chute ou passe de outro jogador do Santos" é falso.

André Henriques disse...

Claro que não. Se o chute sai do jogador do Santos e bate em um do Corinthians, como eu disse as figuras 9, 10 e 12, aí seria o rebote e teria impedimento. Agora, não existe impedimento em chute, passe ou lançamento errado de jogador adversário.

O Marquinhos poderia estar junto à trave que não haveria impedimento.

André Henriques disse...

Achei esta imagem e ela diz tudo. Se você ver quando a bola pega no André pela última vez, verá que o Chicão está a frente dele, a linha da área ajuda. Se nesse hora o Marquinhos estivesse a frente, poderia ter sido marcado o impedimento, caso o árbitro entendesse que o jogador atrapalha a zaga. Mas nenhuma das coisas acontece.

E depois pega no outro jogador do Corinthians, ou seja, impedimento não teve de jeito nenhum.

http://www.youtube.com/watch?v=pf24Gb_hgBY

Cristian disse...

A bola supostamente não dá rebote num oponente? Se sim, é impedimento. Em nenhum lugar está escrito que tem de ser um jogador do seu time. O Marquinhos se beneficiou de uma posição de impedimento, logo, gol corretamente anulado.

André Henriques disse...

O impedimento só existe no passe de jogadores de mesmo time. E isso está na regra, sim. É só reler e ver as imagens. Está lá. O Marquinhos não se beneficia de posição de impedimento, pois não há toque de um jogador do Santos para ele, nem de uma bola chutada ou cruzada ou perdida de outro jogador do Santos que acabou espirrando no Chicão e sobrando para ele.

O Arnaldo e todo comentarista de futebol fala isso, como se caracteriza o impedimento? No momento do passe, mas passe entre jogadores do mesmo time.

Cristian disse...

ok, então me mostra isso na regra. por enquanto, a única coisa que está lá é aquilo que citei, que não menciona quem chutou a bola que depois deu rebote.

André Henriques disse...

Está nas figuras. É só ver que todo lance de impedimento o início do lance está nos pés dos atacantes.

Outra, então, diga: se o atacante está voltando do ataque, só tem o goleiro a frente, o goleiro sai errado com a bola e dá a bola no pé dele, é gol ou é impedimento? Veja que fiz muito gols assim no sábado que você foi em casa no International. hehehehehehehehe... Fora que em qualquer jogo, azar do goleiro que saiu errado.

Mas pense no lance, goleiro sair errado com a bola e sobra para o atacante que só tem o goleiro pela frente e mais nenhum zagueiro, é gol ou impedimento?

Cristian disse...

ah, isso sim está na regra:

There is no offside offence if a player receives the ball directly from:
• a goal kick
• a throw-in
• a corner kick

aliás, isso é dito na regra de maneira bem clara pra explicitar q são esses casos as únicas exceções.

André Henriques disse...

Não estou falando de tiro de meta, estou falando de reposição pura e simples. A bola não saiu, o goleiro defendeu, vai repor e dá a bola no pé do atacante.

Cristian disse...

num caso desses, uma vez que o árbitro considere a bola em jogo (pq os corinthianos lembrarão que numa das libertadores em que fomos eliminados pelos Palmeiras o Edílson fez um gol no vacilo do Marcos em repôr a bola e o juiz anulou), não há impedimento, porque, como está na regra, o jogador não ganhou "UMA VANTAGEM POR ESTAR EM POSIÇÃO DE IMPEDIMENTO" não ficou "com a bola que dá rebote da trave ou do travessão" nem JOGOU "A BOLA QUE DÁ REBOTE DE UM OPONENTE ESTANDO EM UMA POSIÇÃO DE IMPEDIMENTO"

André Henriques disse...

Pô... Cristian, segundo o seu raciocínio o cara estaria impedido, então, se o goleiro repusesse a bola, ela batesse na cabeça do zagueiro e entrasse e caísse no pé do atacante, ainda nesse caso só com o goleiro entre a linha do gol e ele. Em nenhum desses casos está impedido.

Posição de impedimento sai do passe e as figuras são claras em relação a isso.

Cristian disse...

Os desenhos são apenas exemplos. Não são a regra. Por enquanto, as regras de qualquer esporte ainda não vem em desenhos, hehehe

Vale lembrar que você baseia o argumento na hipótese de q a bola desviou no jogador do Corinthians, o que não é possível de determinar no vídeo. Além do mais, no vídeo que vc passou, o comentarista concorda com o bandeirinha, hahahahaha

http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1273348-7824-ANULADO+MARQUINHOS+MARCA+NO+REBOTE+MAS+O+ARBITRO+VE+IMPEDIMENTO+AOS+DO+TEMPO,00.html

André Henriques disse...

De minha parte, fico com o lance do jogo do Peixe do domingo, Léo, em posição de impedimento, rouba a bola do goleiro e sofre pênalti. O que mostra que só impedimento no momento do passe mesmo entre jogadores do mesmo time.

Esse comentarista da SporTv é péssimo. Aliás, tem vários lá ruins. Os caras estão contratando a rodo, vou mandar meu currículo. kkkkkkkkk