sexta-feira, 11 de junho de 2010

A bola rola na Copa!

Está começando agora a Copa! Ah... quanto tempo a esperar. Quatro anos é muito para vermos as melhores partidas de futebol do mundo. Parece exagero? Mas o maior evento do mundo permite isso.

E o futebol começará uma nova era. Sim, a Copa é na África e muitas oportunidades com isso virão. Esperamos que todo investimento feito seja revertido para esporte local após a Copa.

O primeiro jogo é dos donos da casa contra o bom time do México, que treinou mais que qualquer outro selecionado. Depois já teremos talvez um dos melhores jogos dessa primeira fase, Uruguai e França.

O Brasil só estréia na quinta, ainda tem tempo de preparar. Mas já ter jogos de Copa diminuem a ansiedade de nós que amamos o futebol. E esperamos ver muitos bons jogos. Enquanto escrevo, estou ouvindo o primeiro jogo e a correria é ordem. Ótimo! É disso que falamos, é isso que queremos.

Apesar de não poder assistir, vou tentar ouvir todos os jogos e fazer um resumo diário. Claro que à noite, os bons VTs me ajudarão. E é isso aí! Vai, Copa! Vai, África! Vai, Brasil!!!

Falando em Brasil...

Como não escrevi antes, vou aqui vuvuzelar um pouquinho. O time do Brasil é bom, mas me preocupa a qualidade do banco e dos volantes que estão no time. Não tem o que falar, o Brasil é favorito, mesmo com um grupo sem muitas estrelas. É só lembrar 94. Estrela, estrela, só o Romário. E este grupo de hoje é mais forte do que aquele que foi Tetra.

Mas não dá Felipe Melo. Sinceramente, torço para que ele tenha uma indisposição na estréia e o Ramires pegue a vaga. Não dá. Eu sou melhor que o Felipe Melo. O PVC foi fantástico ao questionar se o péssimo volante se achava jogador. O Josué também é fraco e o Doni é algo inexplicável.

Os demais jogadores são discutíveis e alguns que ficaram fora da Copa também. Mas isso é Brasil, um país que permite muita discussão por poder montar um time de diversas formas e possuir jogadores de qualidade para praticamente todo tipo de formação tática.

Espero que o Dunga deixe de ser turrão e que Kaká e Luis Fabiano reencontrem o futebol que há muito não apresentam. Mas vai, Brasil! Pra cima deles e trás o hexa!

terça-feira, 8 de junho de 2010

Parando o Brasileirinho para voltar o Brasileirão

Saudações alvinegras praianas!

Pois é, meus amigos. Chega desse brasileirinho chato e modorrento de sete rodadas. Times cansados, jogadores estourados, times jogando finais de campeonatos paralelos e todo mundo com a cabeça na Copa. E eu não queria mais saber de nada, queria mesmo que chegasse logo a Copa, até para dar um descanso aos jogadores do Peixe.

Os dois últimos jogos do Peixe foram meio cumprir tabela mesmo. O Cruzeiro foi um jogo complicado, mas importante por não ter tomado gols. A substituição do Felipe pelo Rafael veio em boa hora. Acho o Felipe ótimo jogador, mas era preciso testar outro goleiro, pois já se tinha planejado a saída do Fábio Costa. Aliás, uma pena que o Fera não se acertou com a nova diretoria.

O empate com o Cruzeiro mostrou o time do Santos cansado, mas mostrou que tem muito árbitro ruim. Falta no Neymar não existe mais. Uma pena, mesmo sabendo que ele tem culpa nisso, mas tem coisa que está clara.

Contra o Vasco, sem problemas. Com todo respeito à instituição Vasco da Gama, não era preciso muito para vencer. O Santos jogou mal, não fez uma grande partida, sobretudo no primeiro tempo, mas mesmo assim meteu 4, sem problemas, sem erros e sem sustos. E o Rafael mostrou ser bem promissor mesmo. Em uma chance que o Vasco teve, o garoto fechou o gol.

A nota triste é a saída melancólica e meio melindrada do G10. Apesar que acho as reportagens mal feitas e tendenciosas para criar um clima ruim lá pela baixada. E de resto teremos esses próximos dias muita especulação sobre a saída das nossas jóias. A da vez é o nosso camisa 9, André. Só que falam em Dínamo de Kiev. Sei lá, penso que o André pode mais que isso e dinheiro não tinha que contar agora. Enfim, esperemos.

Mas agora o negócio é concentrar na Copa. Quero tentar acompanhar todos os jogos, só não conseguirei acompanhar os jogos que acontecerão simultaneamente. E o blogue vai receber mais postagens sobre o maior evento mundial.

E nação santista, salvo qualquer notícia bombástica, notícias do Peixe só depois da Copa.

Pra cima deles, Santos!!!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Líderes

Corinthianos, o Brasileiro começou, já conta seis rodadas e nós somos líderes. Que beleza! Mas enquanto não levantarmos o caneco nada de oba-oba.


Nada de oba-oba, porque temos de reconhecer que nas quatro primeiras rodadas o coringão jogou um futebol de "dar azia em sonrisal" como diz a expressão... Um jogo pior que o outro. Contra o Atlético Paranaense, eu estava no estádio, e foi um negócio complicado, mas o time do Paraná houve por bem lançar naquela ocasião a sua candidatura ao rebaixamento e nos demos bem. Contra o Fluminense, só não perdemos porque o Fred estava ruim de mira.


Mas eis que o Bruno César chega ao clube e põe uma idéia nova à cabeça do Mano: time jogando para a frente no esquema 4-4-2.

Logo na primeira partida assim, contra o Santos, o time foi outro, melhor, e impôs aos meninos da vila uma derrota bem sonora: 4 x 2. Claro que teve santista reclamando do gol anulado de Marquinhos e do empurrão de Elias em Dracena. Só que o Marquinhos estava mesmo impedido e o Edu Dracena foi empurrado porra nenhuma.


Ontem, contra o Inter, voltamos a jogar bem e a ganhar. Não foi fácil, porque o Inter estava marcando em cima (aliás, tenho de reconhecer que o Guiñazu é um baita de um meio-campo) e ficou mais com a bola, embora chutasse menos ao gol – por volta dos vinte do primeiro tempo, o Inter tinha chutado 2 vezes e o Corinthians, 3. O bom foi que o pênalti para a gente veio na hora em que o Inter estava melhor. Foi estranho esse pênalti, porque na hora pareceu não ter havido nada. Mas é foda você ver a repetição, o Sorondo empurra o Danilo na caruda, e dizer que não marcaria. Foi bem na frente do juiz. E foi esse o primeiro tempo.

Bem no começo segundo tempo, o Iarley, que não dava aquele espetáculo, fez um gol. Depois, o time se acomodou, criou mais algumas chances, mas nada de muito concreto. Talvez o melhor momento tenha sido aquela arrancada do Dentinho que o Bolívar, último homem, interrompeu com um carrinho: o amarelo saiu baratíssimo para ele. De resto, o Inter dominou, mas graças à péssima fase do Kléber – aquele... – não arrancou nada da gente. Talvez, se o Deferico tivesse entrado no lugar do Iarley, pudéssemos ter ameaçado mais os gaúchos.


O próximo jogo é contra o Botafogo, no Engenhão. Acho que dá para manter a invencibilidade e a liderança pré-Copa. Vai, Corinthians!