segunda-feira, 31 de maio de 2010

Mais um jogo para nós, o do ano para os outros

Saudações alvinegras praianas!

E ontem tivemos nosso primeiro grande revés no ano. Santos 2, Corinthians 4 e não tenho muito para falar. Primeiro e sobretudo porque não vi o jogo e nem mesmo consegui ouvir a partida pelo rádio. Ontem, eu tinha compromissos mais importantes, aliás, estava assumindo compromissos mais importantes. Agora ficar noivo de uma corinthiana bem no dia em que o Santos perde para o Corinthians é crise na relação. Hehehehehe...

Acabei não acompanhando o jogo e, devido a este fato também, eu não estava com nenhuma das minhas muitas camisas do Peixe. E, quando isso acontece, eu conto nos dedos os resultados positivos do Santos. É engraçada essa relação que o torcedor tem com seu time, por isso que a gente fica tão triste quando perde, a gente acha que fez algo de errado, ficou fora de uma tradição e essa tradição faltou no apoio para conseguir a vitória do time. O futebol é algo realmente louco e apaixonante.

De resto, pelo que li, vi que o time foi para frente, foi ao ataque, mesmo perdendo. O pessoal está dando a maior cornetada no Dorival por ter tirado o Dracena e entrado com o Zezinho. Só que quando ele fez praticamente isso contra o Ituano, com o Santos metendo goleada, aí ele era genial. Dorival, parabéns! É isso aí, o Santos é para frente, se perder, perde jogando bola, indo ao ataque, sem melindres de uma derrota. E assim que eu gosto de ver o Santos jogar. Infelizmente, os jogadores é que estão tendo uma má jornada. O Santos criou bastante e perdeu dois gols que não se podem perder em um clássico. Um com o Neymar que com o goleiro batido, não tirou do Chicão, e outro com o Madson que perdeu um gol cara a cara com Felipe dando uma canelada e ainda poderia ter passado para o Marcel, que deixou mais um ontem.

E chega de querer por crise no Santos. Se na quarta o Peixe meter 3 no Cruzeiro em pleno Mineirão, já vão mudar todo o discurso. Perder é normal, é do jogo. Claro que bom seria vencer sempre, principalmente os rivais mais próximos. Só que felizmente isso não é possível, deixaria o futebol sem graça e modorrento. Ainda bem que não é assim e que nunca seja.

Antes de ontem, estava meu irmão, Cristian, Tele e eu conversando sobre futebol. Meu irmão vaticinou que o Corinthians deveria vencer, pois faria o melhor jogo do ano e o Santos, até por estar passando por um momento de baixa produção, não conseguiria um resultado melhor. Eu concordei na hora e quando vi a escalação do Corinthians, falei para o Cristian que realmente estava difícil para o Peixe, pois o jogo era no Pacaembu. A derrota não foi uma surpresa e não é para ser o fim do mundo. O placar elástico foi devido à ousadia do Dorival, nem sempre ser ousado resolverá, mas não arriscar é sinal de covardia profunda e crônica.

E falando em covardia, que bundão esse Ralf, hein? Foi lá tirou um barato e depois disse que não tinha intenção de provocar? Achei legal o pessoal do Corinthians comemorando gol fisgando o Peixe. Mostram duas coisas: uma o quanto o Santos incomoda, fato; outra coisa que o futebol é isso, é brincadeira, é zoação e ontem foi a vez deles, ponto. Agora vir depois dizer que não foi bem isso, aí ficou feio e soou covardia para mim.


Agora é acertar os pontos e trabalhar nesse curto tempo até quarta.

Pra cima deles, Santos!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Na média para o gasto

Saudações alvinegras praianas!

Que susto ontem! O time do Santos não foi bem, mas jogou para o gasto. Mantendo a média de gols tomados e marcados no ano, o Peixe meteu três a um no Guarani. Apesar do que quiserem falar da qualidade do Guarani, ontem um placar elástico só não aconteceu por conta de mais uma atuação ruim da arbitragem e do sono do nosso time.

Mesmo vencendo, acho que esse jogo foi no mesmo nível do que o do Fortaleza, se brincar até um pouco abaixo. O Santos até criou bastante, mas a gente não via um ímpeto grande. Na verdade, os meninos pareciam querer resolver sozinhos e isso complicou muito. Se efeito da bronca ou não, acho que ao Santos simplesmente faltou tocar mais a bola na hora de concluir ao invés de resolver as jogadas sozinhos e o Neymar foi quem mais fez isso.

Neymar fez um gol com menos de cinco minutos de jogo e deu a idéia que nova goleada viria por aí, mas o Guarani aproveitou a moleza que se instaurou nos passes e ataques do Santos para impor uma marcação pressão e dominar boa parte do jogo, sobretudo no primeiro tempo. O Peixe levava muito perigo no contra-ataque, mas esbarrava nos erros de passes ou na insistência sobretudo do Neymar em fazer tudo sozinho.

O cúmulo do estado fominha de Neymar foi em lance do segundo tempo, onde na TV deu para ver o Ganso falando “mas não passa uma”. Depois disso, Dorival não pensou duas vezes, mandou chamar o Marcel para colocar no lugar do nosso camisa 11. Eu sinceramente achei certo a saída do Neymar, mas entrar o Macel para mim era dizer que o empate estava de bom tamanho.

Claro que o Dorival não queria mais ver a jogada morrendo no pé do Neymar como estava acontecendo, mas é sabido que o Marcel tem domínio e toque de bola deficientes, então, era a volta do Kleber Pereira ao ataque. E aí sim novamente, de novo e por que não? Fomos surpreendidos com um gol. Gol salvador e de toque de bola. A referência na área funcionou depois de boa tabela entre Léo e Ganso, precisão no cruzamento do nosso camisa 3 e lá estava Marcel para fazer seu gol redentor - e até já aproveitou para pedir mais chance no time. Que coisa, hein?


E quando a fase é boa, mesmo em um jogo ruim, o Santos meteu mais um com o André, após falha bizarra de Fabão. Nosso centroavante meteu a bola embaixo das pernas de Douglas que jogou bem. O Felipe também catou muito. Não concordo que ele tomou frango no gol do Guarani. O Baiano pegou muito bem, mesmo se tivesse mais um na barreira, a bola teria passado por fora e, como ele teria a visão ainda mais prejudicada, ficaria ainda mais difícil ele ter conseguido defender.

Acho que o Santos simplesmente não fez uma grande partida, o pessoal sentiu a falta do Madson, mas acredito que com o susto o baixinho vai voltar a jogar bem e entrar nos eixos. Sei que problemas familiares afetam demais a cabeça de qualquer um, mas ele tem que honrar seus compromissos e não pode achar que, por ser jogador de futebol, pode fazer tudo do jeito que quiser. Regras são importantes e formam o caráter do indivíduo. Força, Madson!

E agora a imprensa tem que parar de encher também. O Santos nunca teve a intenção de negociar o Madson, o Dorival falou que quer contar com o jogador. Ontem mesmo ele poderia mudar o jogo, foi uma pena ele não estar lá. Mas agora os gatos mestres já estão dizendo que a negociação não vai acontecer porque o Atlético-PR achou muito alta a pedida do Santos. Vão se catar! A verdade é o que Santos é muito simples, quem é torcedor e acompanha direitinho sabe como a banda toca por lá. Só que a imprensa da Capital não tem muito acesso a informações de bastidores e fica inventando coisas para vender, inclusive crises.

É isso aí! Agora é descansar o pessoal, acertar os nervos que domingo tem jogão! Santos e Corinthians em um dia muito especial para mim. E tinha que ter esse clássico, já que noivarei com uma corinthiana. É já para ter crise no casamento. Hahahahahahahaha

Pra cima deles, Santos!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Estamos de volta!

Saudações alvinegras praianas!

E o Peixe seguindo sua sina de gols fez mais dois neste final de semana. Mesmo sem contar com cinco titulares mais um reserva mais que titular, o Santos fez dois a um no bom time do Atlético Goianiense, semifinalista da Copa do Brasil e Campeão Goiano. Podem até achar que estou valorizando o adversário, mas esse time deve dar trabalho para alguns grandes. E como o Santos venceu com seu time bastante modificado, tenho que realmente achar que foi um baita resultado.

O Peixe estava totalmente voltado para a Copa do Brasil e não conseguiu bons resultados nas duas primeiras rodadas, mas essa vitória coloca o Santos de volta na briga pela ponta. Até a Copa do Mundo serão ainda mais quatro jogos e, mantendo um bom aproveitamento dos pontos, o time pode chegar à borda do G4. Se contar ainda com tropeços dos adversários diretos, quem sabe até entre no G4 antes da parada do campeonato, o que seria sensacional.

O Santos fez um bom jogo e mostrou que tem um elenco muito bom. Zé Eduardo jogou um partidão e o Zezinho mostrou que tem condições de atuar também. Agora quem jogou muito mesmo foi o Wesley. Eu mesmo dei uma bela cornetada na volta dele, mas ele realmente comprometia em certos jogos. Só que o cara colocou na cabeça que ele tem suas limitações e vem superando nossas expectativas com muita dedicação e raça. Nesse espírito, nosso novo coringa tem feito golaços e gols importantíssimos como esse contra o Atlético de Goiás.

Tanto quanto o Dorival, eu estou muito confiante em um bom campeonato depois desta vitória. O elenco mostrou sua força e Dorival mostrou que deu uma cara para o time mesmo, independentemente das peças, o Santos tem um jeito próprio de jogar.

Agora o pessoal tem que parar de falar da punição que o Santos deu aos meninos. Está tudo certo, quem erra tem que pagar e o que aconteceu tinha que virar referência. Existem regras e muitas vezes elas são simples de serem cumpridas. O errado no Brasil é que essas regras são relevadas quando uma pessoa mais famosa é quem descumpre. O Peixe mostrou que não está querendo apenas formar bons jogadores, mas homens, profissionais prontos para a vida. Parabéns ao Dorival e ao LAOR. Era só isso que deveria ser falado por todos.

E também venho aqui dizer que não acredito na saída do Madson. O nosso reserva mais titular não pode sair, a não ser que ele queira. Mas também não acredito que ele queira, uma vez que ele está adaptado e ele não parece ter essa vaidade toda de querer ser titular desse time. Ele sabe quais são os limites dele e, se for esperto, esperará seu momento.

É isso. Amanhã temos o Guarani pela frente na Vila, é uma grande chance conseguir mais uma vitória e arrancarmos rumo ao topo da classificação!

Pra cima deles, Santos!

sábado, 22 de maio de 2010

Final da Champions!

Quem gosta de futebol, se emociona com essa música. O trabalho do pessoal do Globo Esporte ficou sensacional. Estou escrevendo aqui agora, pois quero palpitar antes do fim do jogo. hehehehehe

A lógica dá Inter, mas de coração prefiro o Bayern e vou torcer. Chega de futebol de bundão. Vai, Roben! E vou voltar a ver jogo. Tchau!

Mais uma final!

Saudações alvinegras praianas e finalistas mais uma vez!

Sim, senhores! O Peixe começou o ano apenas com o objetivo de montar uma equipe, arrumar a casa, começar um novo trabalho. Um novo trabalho que com certeza visava bons resultados, finais, títulos. Mas acredito que as coisas aconteceram muito mais rápido do que se esperava.

Aqui nesse blogue escrevi isto sobre o início do ano. Claro que eu já sabia que havia muito potencial na base, nos garotos que vinham da base, mas ainda sim eu via uma diferença entre o potencial e colocar todos esse potencial em campo. E esse está sendo fantástico nesse sentido. Dos primeiros treinos a duas finais não se passaram seis meses e, por isso tudo, o torcedor santista está satisfeito com o time.

O jogo da última quarta foi sensacional! Acredito que apenas cruzeirenses e sãopaulinos é que perderam uma verdadeira aula de futebol. Casa cheia, má arbitragem, tensão, expulsões, muita tradição nas camisas e golaços! Gols inesquecíveis, inenarráveis! Quer dizer, cada narrador tentou botar a emoção que podia, mas emoção maior acontecia no momento mesmo em que se via os gols.

Aliás, não me cansei de ver. O Santos no primeiro tempo vacilou, mas PH Ganso, o Gênio!, viu que o problema eram os passes errados, não um monte de bobagem que estavam falando. A questão era só acertar os passes e para isso foi preciso a intervenção de alguém do banco. Sim, senhores, ele, Dorival, o Júnior, e eu uso todas as vírgulas mesmo! hehehehehehe... Ah... quantos críticos começaram a colocar o trabalho dele em cheque pelos últimos resultados, ou melhor, pelos últimos jogos.

O Santos perdeu quando poderia perder e mostrou que não há time imbatível mesmo. A garotada vem jogando decisão atrás de decisão e isso desgasta demais. Ainda sim, perdeu quando poderia perder e por placares reversíveis. Foi assim contra o Galo e foi agora contra o Grêmio. Mas ainda sim queriam já questionar se o Dorival era técnico suficiente para comandar esse grande time. Idiotas! Me perdoem, mas é a única expressão que dá exatamente o tamanho do tipo de análise feita por esse tipo de repórter.

Dorival colocou o nervo da molecada no lugar, do outro lado, o prepotente Silas(cou) pediu para o time se segurar por mais 15 minutos, ignorando a pressão da Vila e qualidade de nosso ataque. Ah... Silas(cou), você talvez ainda seja grande, mas me parece um Luxa piorado por ora. Não compare nosso estádio com os dos times pequenos que você comandou, não despreze nossa camisa, não minimize nossos jogadores. Isso foi terrível para você e seu timinho. A camisa do Grêmio merece respeito, mas boa parte de seus atuais jogadores também foram prepotentes. Principalmente aqueles que eram de casa. Jonas, a Vila não é tudo isso? Que pena você pensar assim. E, príncipe Willian, por que chutaste nosso goleiro? Você é mais de casa ainda, não era necessário.

Os quinze minutos foram o suficiente para um golaço do Ganso. Chorei no gol. É único, inigualável, coisa que apenas craques fazem, mesmo quando não estão no seu melhor dia. O do Robinho, como disse o narrador, lindo, lindo, lindo, enlouquecedor! E o Wesley é realmente um monstro.

Chupa, Presidente do Grêmio. Nós sabemos sim com quem lidamos. Com pessoas que, infelizmente, não estão a altura de vestirem a camisa do Grêmio, inclusive o senhor.

E é isso. O Santos mostra todo seu talento e espanta uma crise mentirosa que a imprensa quis inventar. Chega! O Santos fará mais uma final, claro que queremos ser campeões, mas não vir título não é o fim do mundo, principalmente para um time que tinha pretensões mais modestas para esse início de trabalho. Chega de cornetagem! Não só com o Santos, mas o futebol merece mais respeito.

Pra cima deles, Santos!!!


____________________________


Sobre o caso da indisciplina. A diretoria foi perfeita. Não temos que ficar passando a mão na cabeça dos nosso ídolos, todo mundo tem que respeitar a lei. Parabéns!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Começou o Brasileirinho

Saudações alvinegras praianas a todos!

Estou complicado de tempo, alguns contratempos na família me deixaram meio aéreo e atarefado por esses dias. A questão é séria, é com meu pai e peço a todos que possuam fé, ou que curtam fazer uma corrente positiva, que ponham meu pai em suas orações e pensamentos. Tenho fé que isso tudo vai acabar bem.

Valeu!

Mas falando do Peixe, esse início do Brasileirinho está péssimo. Sim, Brasileirinho, como alcunhou Juca Kfouri. Enquanto não passar a Copa e estiver rolando a Copa do Brasil e a Libertadores, o certame nacional estará relegado ao segundo plano. Clubes escalam times mistos para pouparem jogadores, a prática é justa, mas põe em xeque a questão de justiça do campeonato de pontos corridos. Mas, como já até prometi em outro texto, vou abordar esse tema em um texto exclusivamente.

E o Peixe não é diferente dos outros, escalou um mistão contra o Bota e entrou com espírito voado contra o Vozão. Resultado, dois empates que decepcionaram bastante a gente que estava na expectativa de mais grandes atuações do Santástico. Contra o Bota, eu não tenho muito o que falar. Não vi o jogo, nem ouvi, fico péssimo quando isso acontece. Mas era sábado véspera de dia das mães e tinha prometido a minha neguinha que iria ao shopping com ela. Isso que dá deixar tudo para a última hora, mas deixar as mamães na mão também não pode, né?

O jogo contra o Vozão, eu acompanhei. Foi péssimo. Quer dizer, tem muito time que está apresentando esse futebol a temporada toda e a imprensa puxando o saco, mas para o padrão que o Peixe veio imprimindo ficou muito abaixo da média. O Peixe fez seu pior jogo da temporada, mas tranqüilo. Não é a tragédia que estão pintando na mídia. A questão é que o ataque não funcionou. O pessoal fica aí todo revoltado com a defesa, mas sinceramente, um gol está na conta por partida, até dois. O que não pode é o ataque não balançar a rede ou balançar uma rede uma vez só, e ainda de pênalti. Pouco mesmo, mas os caras estão com crédito e a imprensa que vinha endeusando o Santos já aproveitou para falar o que ela realmente acha do time.

Tirando o pessoal da antiga, os gatos mestres estão loucos com essa coisa de time ofensivo. Vamos parar! A torcida não tem que cair nessa pilha e apoiar o futebol para frente.

Aliás, toda vez que colocamos o time para defender dá merda. Então, bola para frente, jogo para cima. Esse é o nosso espírito! Os pontos perdidos agora farão falta mais a frente com certeza, mas é o preço que se paga por uma tabela tão mal feita e um calendário tão apertado, sobretudo para os times de São Paulo.

Mas não vamos deixar o peteca cair. Eu acredito muito no time e sei que mais para frente o aproveitamento vai subir. Agora é concentração no próximo jogo na quarta contra o Grêmio. O primeiro jogo foi demais! Um jogão! (Aliás, nem falei da classificação sobre o Galo, mas é que a hora do Luxa já passou! hehehehe)

Mancha a parte, o Peixe jogou muito. Infelizmente o volantão brucutu estava em péssima noite e entregou o ouro. Poderíamos sair já classificados do Olímpico, o Felipe pegou muito para calar de vez os seus críticos. Só que sem crise. Apesar da situação, o placar era uma das coisas que o Santos foi buscar: uma derrota por um gol de diferença com vários gols marcados. Então, não tem mesmo essa coisa de desespero, mesmo sabendo que dava para sair com resultado melhor de lá.

Mas como sabemos que é possível, então, é empurrar amanhã o time para cima do Grêmio, pois é vencer por um gol de diferença não é nada do outro mundo para o Santos.

Pra cima deles, Santos!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Corinthians 2 x 1 Flamengo: ...

Corinthianos, a merda aconteceu. Não há muito o que falar. Tivemos um primeiro tempo brilhante e um segundo tempo regular, que me lembrou do segundo tempo no Estádio Mário Filho, há uma semana. A defesa deu espaços e o gol deles aconteceu. E lá fomos nós.

Os erros do nosso time? O acomodamento com o segundo gol, sem dúvida. Tivéssemos a pegada do primeiro tempo no segundo e as coisas seriam melhores. Faltou um técnico no vestiário que incentivasse o time a fazer mais um, dois, três gols... quantos possíveis! Faltou um técnico que tivesse encontrado a formação ideal do time – a de ontem, que cantei aqui, aliás – antes; faltou um técnico que não trocasse Elias por Jucilei...


A desclassificação de ontem, penso, poderia encerrar um ciclo. Acho que é o momento do Mano pegar o seu boné e ir cantar em outra freguesia. Claro, levando consigo a sua turma: os afilhados do Carlos Leite – aquele empresário e amigo do treinador que, por um grande acaso, botou no Corinthians "craques" como Souza e Morais – e os seus próprios afilhados, como o Tcheco.

É hora de apostar em reservas que têm poucas chances: Edu, Defederico, Iarley... Um técnico mais corajoso e confiável. Meu sonho: o Parreira voltar depois da Copa.


Quase ia dizer que um dos pontos positivos de ontem foi comportamento da torcida. Cantou, incentivou e aceitou a derrota com dignidade. Mas as organizadas calaram a minha boca. Enquanto os torcedores honestos, que pagam caro para ver jogos, foram muito bem, as organizadas tocaram o inferno na praça Charles Miller após o jogo. Enfim, mais um ciclo que poderia acabar, essa parceria com as organizadas em que o clube entra com a grana e os privilégios e eles entram com a avacalhação e a balbúrdia.


Corinthianos, lembremo-nos: o centenário do Timão começa, de fato, no dia 1º de setembro. O que acabou ontem foi o sonho do centenário do marketing. É hora de reunir forças e fazer o centenário de verdade acontecer. Mais: é hora de reunir forças e jogar com a raça de sempre, seja ano de centenário ou não.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Salve o nosso campeão!!!

Saudações alvinegras praianas e campeãs!!! Ah, Santos, meu amor! Que sofrimento, mas gritar é campeão mais uma vez não tem preço. Sofro tudo de novo por um momento mágico como esse.

A lógica. Sim, deu a lógica a despeito do que quiserem falar. Foi difícil, mas já prevenia no texto que coloquei no ar pouco antes do jogo começar. O Santo André foi um grande adversário. É um grande vice-campeão e até ontem era a segunda melhor equipe do estado de São Paulo. Uma pena ver o desmanche já feito na equipe do ABC, parece que até o técnico está para sair. E pensando nisso até entendo de onde esse time tirou tanto brio para fazer dois jogos de superação contra o Santos, era o último jogo desse grupo junto.

Um jogo épico. Cinco gols. O mesmo placar da semana passada. 3 a 2. Expulsões no primeiro tempo. Golaços e mais e mais golaços! E na soma houve empate dos placares e o Peixe foi campeão 'só' por ter tido melhor campanha. Como se fosse pouca coisa acabar com 10 pontos a frente do segundo colocado e com mais de 81% de aproveitamento durante todo o campeonato. Mas tem gente que pensa que isso é 'só'.

Seria um injustiça o Santos não ser campeão. Seria um tiro na cabeça do futebol arte, principalmente se isso acontecesse na mesma semana em que o Barça foi desclassificado jogando contra o futebol burocrático, retranqueiro e horrível da Inter. Não! Mesmo com uma tarde desastrosa de Dorival Jr., os deuses do futebol não poderiam permitir tal absurdo. E foram eles que asseguraram o título. Os deuses inspiraram os Meninos da Vila para uma tarde onde eles foram mágicos e guerreiros. Perfeitos heróis! E agora não tem jeito, estão para história para terror da patrulha do contra.

Santos! Santos! Santos! Santos, sempre SANTOS!!!

O jogo

Emocionante é pouco para definir. E nem tenho muito o que falar. Torcia com fervor pelo apito final, pois sabia que não daria para ontem ser o time da virada. Mas eu queria falar aqui um pouquinho dos acontecimentos lamentáveis tanto da arbitragem, quanto dos técnicos.

Sim, dos técnicos. Dorival eu já adiantei que teve tarde desastrosa. Foi muito mal e quis ser cauteloso demais. Não! Jamais esse time pode ser cauteloso, mesmo que perca. Tem que ir para cima, tem que jogar no ataque, tem que fazer o que sabe e deixar o rival se virar. A escalação foi horrível, o Santos deveria ter entrado com o André, ou no lugar do Mancha ou no do Marquinhos - esse último vem comprometendo mais o time a cada jogo, mas falarei dele daqui a pouco. E depois sacou Robinho e Neymar. Errado de novo. Um dos dois tinha que ficar para segurar a bola lá na frente junto com o Ganso. Mas felizmente os deuses do futebol, além de inspirarem os Meninos, sopraram a bola para não ir às redes aos 45 do segundo tempo, e sim bater caprichosamente na trave, salvando assim a belíssima campanha do Professor Dorival.

Por favor, Dorival, eu lhe peço: nunca mais bote esse time para se defender. Quarta é para cima do Atlético. Se não for isso, não vai ser nada.

Mas o Sérgio Soares também foi mal, na minha opinião. O Santo André foi para cima do Santos, mas todo tempo em que esteve a frente no placar a bola queimava no pé do time andreense, que só chegou duas vezes a meta do Santos no segundo tempo, sendo que, nos 15 últimos minutos, o Peixe atuou com 2 a menos. Foi muito pouco para quem queria ser campeão. E parte da culpa está na conta do técnico, que não soube mandar seu time atacar e fez substituições equivocadas. Mas eles que chupem também! Valeu por ser um bom vice e valorizarem tanto o nosso título.

A arbitragem foi mal. Mas foi mal para os dois lados. O lance do cruzamento do Carlinhos foi mal anulado pela Maria Eliza, que é boa bandeirinha, mas esteve em tarde também pouco feliz. Depois, no segundo tempo, ela deixou de sinalizar um pênalti escandaloso em Arouca. O Salvio também foi mal no aspecto disciplinar. Deixou o Santo André descer a bota no Neymar, dizendo que nosso atacante estava simulando. Ora, se simulação, por que Neymar não recebeu cartão? Perdido, ele não queria que ninguém o colocasse numa lista de árbitros ludibriados por nosso jovem jogador.

Os (in)experientes

Para quem achava que os jovens jogadores é que sentiriam o peso da final, uma surpresa desagradável. Quem perdeu a cabeça no time do Santos foram justamente os três jogadores mais velhos da equipe. Léo se desentendeu com Nunes. O atacante do ABC foi lá falar um monte para o Neymar e Léo não deixou barato. E o Léo está certo, quem é Nunes para ficar falando como o Neymar tem que jogar? Vai te catar, Nunes mané!

Depois Marquinhos e Brum foram lamentáveis! Marquinhos já venho aqui falando há um bom tempo, o cara não vem correspondendo ao futebol que se espera dele. Nesses jogos decisivos, o cara vem se escondendo em campo, não corre, não marca, erra passe, compromete o time e agora deixou o time em péssimos lençóis em jogada infantil de revide. O Branquinho, que tomou a falta criminosa dele, tinha feito falta violenta um pouco antes e nem recebeu amarelo (isso porque o Peixe foi ajudado, hein?!). Mas isso não justifica um jogador experiente ir lá revidar. Ainda mais numa final. O Dorival tem que chegar nele e ver o que o cara quer. Assim não dá.

O Brum então nem se fala. Não chegou a tocar na bola, eu acho. Mas vão dizer, se ele não fizesse a falta ali, provavelmente, o Santo André iria parar no gol. Mas fala sério, ele faz a falta porque falhou na marcação. Ridículo! Espero que ele reflita e reze muito para colocar a cabeça no lugar e ver que quase colocou toda campanha do Santos em risco naquele momento.

Santo André

Jogou bem, foi para cima, foi valente, mas vou falar em caixa alta: CHUPA!!! E CHUPA todo mundo que secou o Santos. E o chupa para o Santo André vai mais no sentido do choro, de se dizer campeão moral, que não sei o que, que não sei o que lá. Ah... vão se catar! Vocês com dois a mais só chegaram duas vezes ao gol do Santos no segundo tempo e ainda querem dizer que mereceram ser campeões? E arbitragem ruim foi para os dois lados. Não se justifica o que vocês estão argumentando.

Mas tenho uma tese sobre o futebol apresentado pelos jogadores do time do ABC. Acho que os dois jogos foram de superação. E no final do segundo tempo faltou pernas. Mas é justificável a coisa de jogo de superação, já que eles sabiam que era chance de fazerem história juntos - hoje, como time, eles já não existem mais.

Robinho e Arouca

Não eram jogadores que estavam no planejamento do time no início do ano. Mas as oportunidades de trazer esses dois jogadores fizeram toda a diferença para alcançarmos o título. Eu critiquei o Arouca e era reticente quanto a vinda do Robinho para um time que vinha jogando bem. Mas os dois tiveram importância tática e técnica absurdas.

Arouca incansável, marcou muito e dava a saída de bola perfeita a linha de ataque mais ofensiva do país.

E Robinho! Ah... Robinho! Vida longa ao Rei das Pedaladas. Espero que você possa ficar, você está feliz e sabe que sua felicidade é aqui. Você é demais, mesmo não sendo o ator principal, você é demais!

Neymar

Craque. Espetacularmente craque! Caçado em campo, mas não se intimidou e fez dois golaços aproveitando passes primorosos e sensacionais de Robinho e Ganso. Que frieza para finalizar, limpa zagueiros, escolhe canto. O gol parece maior para ele. Craque! Craque! Craque!

PH Ganso

Gênio. Genialmente craque! Craque. Histórico. O melhor jogador, uma das melhores atuações de um jogador que eu já presenciei. Com apenas oito em campo, ele botou a bola debaixo do braço e disse: "resolvo, eu!". E disse a Dorival: "daqui não saio e daqui ninguém me tira". E nosso técnico entendeu o recado e permitiu que nosso maestro nos conduzisse ao título. Gênio! Mito! Hoje não há no futebol mundial alguém que faça o que o Ganso faz. Nem Messi, e isso não é exagero. O lance do escanteio batido para ninguém é para entrar para história clássica do futebol. É daquele lances míticos que, quando contados, as pessoas custam a acreditar. Gênio! Gênio! Gênio!!!

Messias

Como o Peixe se complicou, não deu para o Messias jogar um pouquinho a final. Mas G10 fez o gol da virada contra o Rio Claro, nesse mesmo Pacaembu, gol que foi importante para consolidar o bom momento do Peixe naquela altura do campeonato. Esse é seu primeiro título no Santos, no Brasil, e por tudo o que você representa no futebol, Giovanni, isso foi pouco. Parabéns, ao meu primeiro grande ídolo!

Pacaembu e os outros jogadores

Os demais jogadores do Peixe tiveram sua importância. Pará jogou como nunca pensaríamos ser possível. Durval um monstro. Felipe é um puta goleiro. Wesley voltou jogando muito e mesmo não jogando ontem, fez certo em correr para a foto, pois ele é muito merecedor. Voltou comendo a bola. Madson e Zé Eduardo, os reservas mais titulares do Brasil. Breitner, um jogador que espera por seu espaço e logo o terá.

A todos jogadores, meu muito obrigado! Vocês todos são guerreiros e honraram muito a camisa do Peixe. Estão todos de parabéns!

E maior felicidade não poderia ser. Tinha que ser no Pacaembu tudo isso. É o primeiro estádio da minha vida. Santos 3 a 2 no São Paulo. Mas foi nesse estádio que vi o Santos perder uma classificação e um título para o Botafogo e outro título ano passado para o Corinthians. Então, já tinha visto título do Santos no Morumbi, na Vila, então, faltava no Pacaembu também. Demais! Demais!

E é isso aí. A festa já passou e tudo foi lindo. Obrigado, Santos! Ontem gritei e chorei depois do fim da partida. Mas eu podia fazer isso, eu era CAMPEÃO!!! E quarta agora tem mais. Pra cima deles, Santos!!!

(normalmente posto os melhores momentos do jogo, mas essa edição do Globo Esporte ficou demais! é de chorar...)

Antes da comemoração, uma crítica

O Santos é o grande campeão paulista! O time joga demais. Os meninos viraram homens e apresentam futebol para ninguém botar defeito. Então, e principalmente pela difícil situação financeira em que o clube se encontra, acredito realmente ser justa a majoração nos preços dos ingressos para as finais. São jogos históricos. Aliás, quem pode estar lá sabe que é testemunha do mais puro futebol.

Porém, eu não pude estar lá, mas ainda assim não é bem com isso que estou chateado. Antes de escrever o texto sobre o lindo título do Santos, era preciso escrever esse, mesmo tendo aqui que conter emoções de alegria que sinto agora para deixar passar outras bem descontentes. Eu acho muito legal quando o LAOR vem a público e fala que o Santos é um espetáculo. Que o time é como o Royal Ballet, o Cirque du Soleil. Isso é engraçado e nos dá munição para zoar com os adversários. Mas o presidente que quer se vangloriar em apresentar um grande espetáculo dentro de campo precisa dar outro na organização do mesmo.

O que se viu na quinta, 29 de abril, dia de início de venda dos ingressos, foi uma verdadeira vergonha e algo inexplicável. Meu irmão e eu chegamos às 7 e 20 da manhã no Ginásio do Ibirapuera. A fila já estava grande, mas nada absurdo. A venda era para começar às 9, mas atrasou uns 20 minutos. Meio dia eu tive que ir embora, eu não podia enforcar o dia inteiro de serviço. Meu irmão ficou e disse que ficaria até quando tivesse ingressos a serem vendidos. E ele ficou, ficou até as 18 horas e 20 minutos. Exatamente 11 horas depois, meu irmão sai frustrado da fila, sem ingresso na mão, querendo até que uma bomba caísse no Pacaembu.

Sinceramente e como já disse acima, não é o que mais me chateia não ter ido, claro que eu queria estar lá. Mas me chateia a falta de organização. Como é que se cobra tão caro e não colocam funcionários aos montes para organizar as filas. Era tudo uma zona, pessoas seguravam a fila para outras entrarem na frente. Pessoal com a carteirinha da Jovem saía até com 5 ingressos na mão, sendo que cada um só poderia comprar no máximo 2. Foi tudo uma zona, uma baita sacanagem com o torcedor, ou com boa parte dos torcedores, já que alguns preferiram ficar sacaneando também. E isso não é coisa que a Jovem faz, isso é coisa de brasileiro, que sempre quer levar uma vantagenzinha. É por isso que está uma zona a coisa da Copa do Mundo.

Por fim, ainda tive que ver um diretor da BWA – empresa que vendeu os ingressos – dizer que desacreditava ter algum torcedor que tenha ficado mais de 3 horas na fila. É um canalha, um panaca, um filho da puta de marca maior.

Enfim, Santos campeão, grana no bolso e eu faço apelo ao presidente, o sortudíssimo LAOR, que tome melhor conta do torcedor. Ele está corretíssimo em cobrar mais, vale a pena ver esse time. Mas cobrar mais sem melhorar o serviço de organização é um absurdo intolerável para quem quer fazer o futebol gerenciado de forma mais profissional.

domingo, 2 de maio de 2010

Tem que provar

Saudações alvinegras praianas!

Hoje o Peixe tem parada dura contra o Santo André, vale o Paulistão! Mas na quarta, o Santos jogou contra o Galo Mineiro e perdeu. Perdeu e vem crise? Não é tudo isso time? Calma lá! Nada disso. Perder é do jogo e uma hora sempre acontece. Mas o Santos é o time que está na mira de todos. É o time que tem que provar! Provar que bom futebol e resultado podem caminhar juntos. E por isso as cornetas de plantão começaram a soar. E mesmo se vier já o título hoje, elas não se aquietarão.

Mas vamos ao jogo. O Santos teve bastante dificuldade em encaixar seu jogo em um campo tão grande quanto o Mineirão. Aliás, só o Maracanã no Brasil tem dimensões também tão grandes, aliás (2), são as dimensões máximas permitidas pela FIFA. O primeiro tempo foi muito complicado por isso, mas normal. O Santos mesmo perdendo não se desesperou, continuou no seu mesmo ritmo, tocando bola e assim chegou a seus gols.

3 a 2 para o Atlético e só queria colocar duas críticas aqui para time. 1 - George Lucas ainda está longe da forma ideal e ainda com o campo grande como aquele comprometeu muito. 2 - Acorda, Marquinhos!

E parabéns ao Dracena que marcou seu primeiro gol. Tomara que isso dê motivação a ele para jogar no mesmo nível do Durval. Na próxima quarta, o Peixe receberá o Atlético no jogo de volta e tem todas as chances de reverter o placar e se classificar. Vai, Santos!!!