segunda-feira, 15 de março de 2010

Chega de silêncio, vamos falar do time a ser batido

Aquele alô a todos que gostam de um bom futebol. Mais uma vez fiquei sem escrever por aqui. Nada de especial na verdade me impediu, a não ser umas superstições que tenho. Pois é... Bom. Eu tinha prometido para mim mesmo que, depois do clássico, eu voltaria a escrever aqui para falar do Peixe.

O Peixe vive fase maravilhosa. Não é a oitava maravilha do mundo, mas só porque um time não pode ser eleito. hehehehe... Brincadeiras a parte, o Santos está me encantando e encantando todos aqueles que gostam de futebol. Um time que joga para frente, marca muitos gols. Óbvio que não é imbatível (e isso ficou claro ontem), mas é um time que dá gosto de ver jogar, mesmo quando não vence.

Neymar, Paulo Henrique, craques! Serão em pouco tempo mais reconhecidos pela imprensa, que ainda insiste em rotulá-los como firuleiros, sobre tudo o Neymar. Este é um jogador de muita visão, muito mais completo que o Robinho aos 18 anos. Mas a imprensa, que reclama tanto do brucutulismo da seleção, confunde a habilidade do jovem jogador com menosprezo aos adversários. O que é um absurdo. Paulo Henrique, melhor PH Ganso, é tido já como uma unanimidade. A visão do meia dono da camisa 11 é indiscutível. Ele é uma mistura de Rivaldo com G10.

O Arouca, que eu não queria que viesse, veio e está jogando muito, falhou ontem é bem verdade, mas é do jogo. O Marquinhos também vem fazendo grandes apresentações. Até o Wesley tem sido fundamental na correria para que o Santos desempenhe um bom futebol. Brun, Madson, Zé Eduardo, Breitner, G10, reservas de luxo para esse time.

Durval e Edu Dracena resolveram bem o problema da zaga. O Durval é uma grata surpresa, e eu vou contra o que dizem por aí, para mim, hoje no Peixe, ele é muito melhor que o Dracena. Este último está meio fora de forma, e dos últimos 5 gols que o Peixe tomou, em três ele falhou, faltou perna para nosso camisa 2. As laterais é que ainda são nosso ponto fraco, mas ainda sim não tem deixado muito a desejar, não. Claro que muito abaixo tecnicamente do que outros setores do campo, mas isso até George Lucas e Léo voltarem.

Felipe começou muito bem a temporada, só que falhou nos últimos jogos. É questão de treino. É um baita goleiro e tem muito futuro. Mas talvez, talvez mesmo, seja hora de promover a volta do nosso capitão Fábio Costa, pela experiência, pelo baita goleiro que é e por tudo que ele representa para o Peixe.

Mas um cara tem sido fundamental para o Peixe. Dorival, o Jr. Claro que ele tem muita qualidade no elenco, mas não adianta qualidade se você não sabe trabalhar. No meu blogue, há muito tempo, já tinha pedido o Dorival para técnico do Peixe. Ele coloca o Peixe para atacar, pois sabe que esse time não sabe se defender. Ontem mesmo ele fez certo, o time infelizmente não conseguiu fazer mais gols. E ele não tem medo de fazer as substituições necessárias: se o Robinho está mal, banco nele, e para qualquer um que não estiver rendendo o necessário.

Não dá para saber como esse time estará até o final do ano. Se vai melhorar, se vai manter o ritmo. A gente sabe que não será sempre possível vencer, mas é bom sempre poder esperar este futebol convincente e bonito que o Peixe vem apresentando. E com isso agora o Santos se tornou o time a ser batido.

É um time que joga e obriga o adversário jogar. O Palmeiras ontem apresentou um futebol, que acredito, que nem o elenco imaginaria poder apresentar. Os jogos do Peixe são sempre grande jogos, cheios de chances e alternativas. Sempre com golaços. Alguns da imprensa até entendem o quanto é valoroso esse serviço prestado ao futebol pelo Peixe, como é o caso do Juca. Aliás, esse texto do Juca deve ser um dos mais comentados do blogue inteiro.

Agora uma coisa é clara, quem está tendo um baita prejuízo é a Globo.com. Agora, qualquer jogo do Santos tem no mínimo 10 minutos de melhores momentos. Já estão mandando aumentar a capacidade do servidor. hehehehe

3 comentários:

Luiz Cláudio disse...

André, concordo com tudo que disse. Ver o jogo do Peixe é sempre emocionante, pois está jogando e deixando jogar. O Verdão teve poucas chances e aproveitou. Outros times não aproveitaram e perderam o jogo. Mas é um futebol vistoso. Bom de se ver!!! abraços.

Nell Siqueira disse...

de bico:
Sobre o desprezível mimadinho Neymar e sua ausência de humildade, maturidade e hombridade:

*tripudiar
tri.pu.di.ar
(lat tripudiare). 1 Bailar ou dançar, batendo com os pés no chão; sapatear...etc

Sobre o jogo:
Claro, podiam ter sido frios, podiam não se ter deixado encantar com a própria beleza (narcisismo da bola existe?) e matado o jogo no primeiro tempo: 4x0 e fim. Mas não, forneceram o combustível que um time extremamente mordido precisava. Grande erro.
Mas penso que esse título ninguém tira do Santos. Assim como ninguém tirava o Brasileiro passado do Palmeiras. Se nele o Palmeiras pecou por pura insegurança, nesse jogo o Santos pecou por excesso de excesso de confiança.
Papo mais que batido: Pro Santos foi "derrota boa".
Um jogo lindo. Como nos velhos tempos.

Minha mãe, Santista:

- Ai, filho, eu queria ganhar, mas, por você, eu queria que empatasse!

Eu sei, mãe, eu também queria que empatasse.



* Sempre achei que pisotear um adversário batido é coisa de gente pequena de alma, pouco habituada ao sabor das vitórias.

André Henriques disse...

Opiniões, caro Nersão!

Se o Santos tivesse feitos os gols, na verdade, teríamos mais matérias falando sobre as brincadeiras dos meninos e que essa alegria é que movia o futebol deles. Agora, estão falando que isso motivou o Palmeiras e que os meninos estão tripudiando. Pára tudo. Não vai na idéia do sonolento e pipoqueiro Diego Souza. Como diz meu tio no texto acima, o que precisa é o Palmeiras jogar bola. E se o time precisou da dancinha para se motivar no clássico, quer dizer que tem alguma coisa errada, não com o Santos, mas o com o próprio Palmeiras.

O Santos dançou e comemorou em todos jogos, inclusive nos outros clássicos, só o Palmeiras ficou mordido? Não. É que o Palmeiras conseguiu um resultados que os outros não conseguiram, só isso.

E o Neymar em momento nenhum faltou com humildade e hombridade, ele fez falta feia e até mereceu ser expulso, e aí sim faltou maturidade, mas é demais pedir isso a um jovem de recém completados 18 anos. Mas ele ficou revoltado porque apanhou de forma até mais violenta durante o jogo. O próprio Pierre acabou o jogo sem cartão amarelo. Um absurdo se pensarmos no rigor que ele tratou o lance do Neymar.

Acho que parabéns ao Palmeiras que lembrou que sabe jogar bola. Dar ênfase aos lances do Peixe, é tirar o bravo Palmeiras que estava em campo. Ou é dizer que, se o Santos não ficar dançando no próximo jogo, vai ser uma sacolada para gente.