terça-feira, 2 de junho de 2009

No domingo, poderia ser o A ou o B ou todos juntos

Olha, eu já estava preocupado. Faz uns 10 anos ou mais que o Santos não ficava sem vencer o Corinthians por mais de duas partidas. Perdeu duas e tinha empatado uma até então. Eu fiquei preocupado, se o Santos tinha perdido a mão de seu maior freguês no século. Mas não perdeu, não. Time A ou B, no domingo, o Santos tinha que atropelar o time de Parque São Jorge e atropelou.

Exibição perfeita de Paulo Henrique, que beleza o nosso Ganso. Fez dois gols, deu dribles, toques sofisticados e só não deu passe para gol, porque Kléber Pereira continua brigado com as redes. O menino só precisa se deslumbrar menos e focar mais o Peixe, acho ele por vezes meio distante do grupo, não sei. Espero que seja só impressão. E digo mais, se ele quer sair logo do Santos, espero que ele lembre da história do padrinho dele. Giovanni poderia ser ainda mais ídolo que é e ter mais chance na seleção, se não fosse a afobação em ir à Europa.

Outro que jogou e jogou demais foi o Madson. Aliás, esse está ficando até repetitivo. O pequeno gigante irritou a defesa corinthiana e o Madson fez isso nas finais também, mas foi uma pena não termos sido melhor recompensados pelo bom jogo que fizemos, principalmente nosso camisa 10, que ainda por cima foi hostilizado por alguns babacas das sociais.

A verdade é que o Santos mandou no jogo, fez o time do Corinthians ir ao ataque e se entregou aos contra-ataques. Assim saíram os dois primeiros gols. No início do segundo tempo, o Santos tentou administrar, tirou o pé e acabou tomando um tento do rival. Mas aí o Santos foi para cima de novo, e ao contrário do pensa nosso estreante corinthiano, Cristian, achei que Kuririn, Julio César, foi muito bem e por isso a sacolada não foi mais. E acho que o Felipe vai ser vendido o quanto antes, muito provavelmente nessa janela européia. Aliás, um comentário aqui sobre a entrada do time reserva do Corinthians, acho que entrou com essa formação pela deficiência do preparo físico, só isso explica, pois era derrota certa essa escolha feita pelo Mano Menezes. Não vem falar em maratona, pois vários times estão nessa correria de jogos e não se arriscariam desse jeito em um clássico.

Mas a pressão do Peixe foi enorme e ainda conseguimos um gol no final, gol de Madson, gol para seu filhinho, ele tinha prometido. 3 a 1 mais olé. Mas ainda sim algumas coisa precisam ser pensadas. Uma primeira boa coisa a ser lembrada é o aproveitamento do Mancini no comando do Peixe, só perdeu três vezes, duas para o Corinthians e a vitória de ontem tira uma cara de tabu que não seria boa para um treinador tão competente. Agora vamos às coisas ruins, primeiro os dois pontos que deixamos de somar frente ao Goiás já fazem falta, com eles o Santos estaria em segundo e a dois pontos do Inter, agora está em terceiro e a quatro do Inter.

O Santos apesar de dominar o jogo falta ainda a questão de fazer o gol. Acho que ainda falta mais calma, o time por vezes é meio afobado. O Molina não foi o grande jogador que esperávamos, ficou devendo nesse jogo. Kléber Pereira pode ir embora logo, só é artilheiro de jogo ganho. Quando precisa dos gols dele, não vai, não vai e não vai. Os times do Santos vencedores dos últimos anos sempre tinham uma boa distribuição dos tentos entre seus jogadores, não havia um artilheiro disparado, assim como é hoje. Mas a verdade é que o Kléber está perdendo gol demais e eu já perdi a paciência com ele. Se Neymar está levando banco, e é preciso, necessário e merecido, o Pereirão também deveria seguir o mesmo caminho.

Agora é concentrar contra o Santo André e se esforçar muito para conseguir mais os três pontos. Se o Peixe chegar aos 11 pontos fica bem e secando o Inter que deve empatar na próxima rodada.

Nenhum comentário: