domingo, 31 de maio de 2009

Indesmontável Circo

Olha, se a agitação foi grande na Vila, na Fórmula 1 nem se fale. Bom, da última vez que esse blogueiro que vos fala comentou sobre o esporte da alta velocidade, a Brawn e o Button dominavam sem dó a disputa dos títulos de construtores e de pilotos. Aconteceram duas prova de lá para cá, a F1 voltou a sua casa, o velho continente e todas as equipes trouxeram melhoramentos a seus carros, pacotes aerodinâmicos e tudo mais. Ferrari e McLaren evoluíram interessantemente. E com tudo isso, pasmem! A Brawn e o Button ainda dominam impiedosamente.

Pois é, veio Barcelona e, já na classificação, Button mostrou sua fibra e na última volta, fazendo seu tempo depois de todos os pilotos, cara, quando ele apareceu na reta de chegada parecia um herói de guerra, fantástico, arrancou a pole do Vettel. Impressionante a propriedade com que ele fez isso. Na corrida, Barrichelo saltou na frente dele ainda no início da prova, mas uma estratégia nada a ver e um rendimento ridículo do brasileiro, fez ele perder a posição para o inglês. O brasileiro achou que teve marmelada para Button vencer, a imprensa brasileira também, eu sempre vou achar que falta é vontade e coragem para ele.

Em Mônaco, no Principado, no ponto alto da temporada, Button e sua Brawn também fizeram pole e terminaram em primeiro a corrida. Aliás, impressionante, 6 corridas e cinco vitórias, não está nada fácil para a concorrência, inclusive para Barrichelo que já tem que guerrear com a própria natureza.

Mas o furou causado por Brawn e Button não é nada se comparado com a polêmica da regulamento do ano que vem. Aliás, se pensarmos no regulamento estapafúrdio que tinha sido empurrado para agora, em que o campeão do ano seria aquele que somasse mais vitórias e não pontos, Button já estava com a taça na mão. Mas o fato é que a FIA tentou empurrar um regulamento onde o teto de orçamento não poderia passar de 40 milhões de libras, cerca de 130 milhões de reais. Quem passasse perderia regalias, como testes, trocas de motores e algumas outras coisas. A FOTA, associação das montadoras, bateu pé e disse que se fosse desse jeito não iria mais "brincar".

Mas brincar foi o que ele fizeram, como bem disse Nelsinho Piquet, que como piloto não mostrou ainda metade daquilo que seu pai foi, mas em entrevistas está se mostrando superior ao seu progenitor, Ferrari e McLaren nunca sairão da F1. O negócio é muito rentável e acordos são facilmente costurados, pois no fim o que todo mundo quer é faturar. E foi o que aconteceu, chegaram todos a um acordo e todas as equipes fizeram sua inscrição para o ano que vem da F1. Todas menos a Willians, que já tinha sido inscrita, já que ela tem que seguir a batuta da FIA, uma vez que equipe pegou um adiantamento das cotas de TV. Isso aê, pensam que é só na Federação Paulista que o pessoal vai pedir a grana adiantada? Olha o futebol brasileiro fazendo escola na Fórmula 1.

Enfim, o Circo é indesmontável. Há muito público e as crises políticas e econômicas no mundo não vão abalar o esporte onde há mais investimento concentrado. E nesse ano, o Circo tem um dono, ele se veste de branco e está deixando todos os outros palhaços estatelados no picadeiro comendo poeira.

Nenhum comentário: