domingo, 31 de maio de 2009

Santos 3 x 1 Timão na ótica de um corinthiano

Então que estou estreiando com derrota aqui no Bolapromato9. Enfim, paciência. Estava mais do que cantado o resultado do jogo de hoje. Entrar com um time de reservas pra disputar um clássico só podia dar nisso. E o que dizer então?

Era de esperar que os jogadores estivesses meio perdidos em campo, por causa da falta do ritmo de jogo (caso do Júlio César), pela inexperiência mesmo e pela falta de entrosamento. No entanto, acho que o principal problema do time foi a falta de qualidade do banco mesmo. A equipe até correu e me pareceu até desejosa de cumprir as ordens do Mano. Faltou técnica mesmo. Passes de dois metros saindo errados, bolas rifadas na área adversária simplesmente porque os jogadores não sabiam o que fazer com ela, bolas dadas de bandeja para a defesa santista e mais um monte de coisas erradas. O nosso gol foi puramente cagada. Se o Corinthians quiser ter alguma chance de ser campeão brasileiro precisa urgentemente reformular o banco de reservas. Campeonato longo depende muito de um elenco todo regular.

O Morais pode ir embora (aliás, não sei porque o Mário Gobbi insiste em dizer que vamos comprar o passe desse cara, que nunca mostrou qualquer futebol com a camisa do Timão); vamos pegar a grana que gastaríamos com ele e investir noutro meia, de mais qualidade.

Sobre o Souza, nem há o que falar: esse cara não deveria nem ter vindo. Quem achou que um atacante que só fez dois gols no "acirrado" campeonato grego podia jogar bem no Corinthians? Só Mano Menezes e o seu sombrio empresário Carlos Leite...

O Lulinha também já está fazendo hora no Parque São Jorge. Sempre defendi o moleque nas discussões com os amigos, dizendo que ninguém esquece como se joga, que era questão de tempo. Mas a minha paciência esgotou. Vamos logo emprestar esse cara para algum time. Emprestar porque sempre temos de pensar o seguinte: "Vai que esse merda resolve jogar bola depois de ter sido vendido?"

O Diogo é outro que também não tem cacife para jogar no Corinthians. Graças a ele, hoje, Paulo Henrique e Madson deitaram e rolaram na ala esquerda. E o Saci deve ter passado o jogo procurando a sua outra perna.

A defesa deu umas bobeadas incríveis, aí sim por falta de entrosamento. Se não fosse a falta de pontaria do KP e a gente teria perdido de bem mais. E o Júlio César falhou no primeiro gol. Vacilou e vacilou bonito. Além do mais, raramente ele encaixou uma bola. Bateu roupa pra caramba. Felipe continua intocável.

Enfim, como ganhar com esses caras em campo?

De bom, podemos dizer que Diego foi até bem. É um bom reserva. Jucilei também mostrou ser uma boa opção no meio, se pá até jogando como meia. O Bruno Bertucci pode assumir a condição de reserva do André Santos. Jogou pouco tempo, mas mostrou ter personalidade.

De resto é concentrar no jogo de quarta. Vamos decidir em casa, o que é bom. Acho que é bem possível irmos pra final.

Vai, Corinthians!

E antes que termine o mês...


... presto aqui uma homenagem não só ao maior piloto brasileiro (quiçá do mundo) de todos os tempos, mas a meu maior herói da infância. Acredito que esse cara foi muito importante na formação de caráter de toda uma geração e digo por mim que ele foi fundamental.

Esse mês é o de aniversário de 15 anos de sua morte e acho que quase todo mundo lembra o que fazia naquele primeiro de maio. Lembro que de costume eu estava acordado sozinho vendo a corrida e minha Mãe chegou para me dar bom dia pouco tempo depois do acidente e foi avisar ao meu Tio. Lembro que fui à casa de minha Avó e no carro de meu Pai, eu não permitia que mudasse de estação, da Jovem Pan, e logo que chegamos corri para TV para ver as últimas notícias, até a notícia que ninguém queria ver confirmada.

Sua obra fora das pistas foi revelada apenas após sua morte e aí podemos confirmar de vez o quão grande, generoso e bom era aquele brasileiro, aquele da Silva, que nos alegrava com sua raça, determinação, sua obstinação pela perfeição, domingo sim, domingo não. Áureos tempos de McLaren, tão áureos que me fazem torcer até hoje para a escuderia, da qual, para mim pelo menos, ele não deveria ter saído.

Valeu, meu grande herói!

Indesmontável Circo

Olha, se a agitação foi grande na Vila, na Fórmula 1 nem se fale. Bom, da última vez que esse blogueiro que vos fala comentou sobre o esporte da alta velocidade, a Brawn e o Button dominavam sem dó a disputa dos títulos de construtores e de pilotos. Aconteceram duas prova de lá para cá, a F1 voltou a sua casa, o velho continente e todas as equipes trouxeram melhoramentos a seus carros, pacotes aerodinâmicos e tudo mais. Ferrari e McLaren evoluíram interessantemente. E com tudo isso, pasmem! A Brawn e o Button ainda dominam impiedosamente.

Pois é, veio Barcelona e, já na classificação, Button mostrou sua fibra e na última volta, fazendo seu tempo depois de todos os pilotos, cara, quando ele apareceu na reta de chegada parecia um herói de guerra, fantástico, arrancou a pole do Vettel. Impressionante a propriedade com que ele fez isso. Na corrida, Barrichelo saltou na frente dele ainda no início da prova, mas uma estratégia nada a ver e um rendimento ridículo do brasileiro, fez ele perder a posição para o inglês. O brasileiro achou que teve marmelada para Button vencer, a imprensa brasileira também, eu sempre vou achar que falta é vontade e coragem para ele.

Em Mônaco, no Principado, no ponto alto da temporada, Button e sua Brawn também fizeram pole e terminaram em primeiro a corrida. Aliás, impressionante, 6 corridas e cinco vitórias, não está nada fácil para a concorrência, inclusive para Barrichelo que já tem que guerrear com a própria natureza.

Mas o furou causado por Brawn e Button não é nada se comparado com a polêmica da regulamento do ano que vem. Aliás, se pensarmos no regulamento estapafúrdio que tinha sido empurrado para agora, em que o campeão do ano seria aquele que somasse mais vitórias e não pontos, Button já estava com a taça na mão. Mas o fato é que a FIA tentou empurrar um regulamento onde o teto de orçamento não poderia passar de 40 milhões de libras, cerca de 130 milhões de reais. Quem passasse perderia regalias, como testes, trocas de motores e algumas outras coisas. A FOTA, associação das montadoras, bateu pé e disse que se fosse desse jeito não iria mais "brincar".

Mas brincar foi o que ele fizeram, como bem disse Nelsinho Piquet, que como piloto não mostrou ainda metade daquilo que seu pai foi, mas em entrevistas está se mostrando superior ao seu progenitor, Ferrari e McLaren nunca sairão da F1. O negócio é muito rentável e acordos são facilmente costurados, pois no fim o que todo mundo quer é faturar. E foi o que aconteceu, chegaram todos a um acordo e todas as equipes fizeram sua inscrição para o ano que vem da F1. Todas menos a Willians, que já tinha sido inscrita, já que ela tem que seguir a batuta da FIA, uma vez que equipe pegou um adiantamento das cotas de TV. Isso aê, pensam que é só na Federação Paulista que o pessoal vai pedir a grana adiantada? Olha o futebol brasileiro fazendo escola na Fórmula 1.

Enfim, o Circo é indesmontável. Há muito público e as crises políticas e econômicas no mundo não vão abalar o esporte onde há mais investimento concentrado. E nesse ano, o Circo tem um dono, ele se veste de branco e está deixando todos os outros palhaços estatelados no picadeiro comendo poeira.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Bastidores agitados

Semana interessante na Vila! Em campo parece que não teremos muitas novidades e tudo correu com grande tranqüilidade. Só não foi mais tranqüilo porque o Léo sai machucado hoje, mas estamos aqui na torcida para que ele jogue e vai jogar. Mas vamos a alguns pontos.

Ele voltará?

Dificilmente. Marcelo Teixeira disse que conversou com o Rei das Pedaladas, que mostrou-se infeliz no Velho Continente. Talvez o auê causado pelo Gordinho da Marginal - aliás, Gordinho mesmo, Ronaldo está mais redondo do que na final contra o Peixe, aliás, estava conversando com meu irmão e achamos que todo time do Corinthians está meio acima do peso; é sabido que o Corinthians perdeu o preparador físico para o Santos e parece que a maionese lá desandou - voltando depois de enorme digreção -talvez, o auê do Gordinho tenha feito inveja para Robinho que era o sucessor natural do posto de grande estrela do futebol brasileiro se não fizesse a bobagem de ir para Europa tão cedo e para um time de grande marketing, mas de futebol decadente.

Os valores de uma transação e salários com Robinho está fora da realidade e volta de nosso camisa 7 não será tão cedo.

E ele voltará?

A saída do Ocimar Bolicenho deixou uma vaga em aberto lá na baixada e o nome de Antônio Carlos foi um dos cogitados para assumir o cargo. A torcida do Santos protestou apenas com a possibilidade, mas eu não entendo. Quando ele saiu do Peixe e foi direto para o Corinthians ser diretor de futebol, achei perfeitamente normal, a torcida num geral se sentiu traída até porque houve uma grande homenagem e festa ao jogador em sua despedida dos gramados. Tudo bem, ele vestiu a 10 e tudo mais, mas a vida continua e a diretoria do Santos não tinha proposta nenhuma para que ele ficasse na Vila executando função nenhuma. Então, não tem o que reclamar. E, na minha opinião, seria um baita reforço de diretor, já que ele teria uma maior facilidade no contato para novas contratações interessantes. Eu aprovaria, mas a corrente contra deverá ser maior e AC não deve retornar também.

G4


Hoje, o Marcelo Teixeira promoveu um encontro entre os presidentes dos 4 grandes paulistas na Vila. A idéia era promover a paz nos clássicos e discutir ações de marketing em conjunto. Eu que sou um crítico da atual administração, bato palmas pela sacada. O negócio é fazer uma marca para os clássicos, repensar a questão das cotas para torcidas e repensar principalmente em levar novamente os jogos para o Morumbi. O presidente do Corinthians torceu o nariz para isso, pelo menos por ora, mas diz que pode repensar mais para frente.

Aliás, o clima foi quente nesse sentido, pois Andrés, presidente corinthiano, e Juvenal, mandatário do Morumbi, se provocaram bastante nesse sentido. Aliás, Juvenal confessou que os poucos jogos no estádio da Vila Sônia vem dificultando o fechamento positivo do caixa sãopaulino.

De qualquer forma, acho ótimo a tentativa da apaziguar e ótimo sobre tudo as ações de marketing, pois uma marca forte pode trazer grana para todo mundo. E a idéia e essa, né, pessoal? É faturar para termos times e ligas mais fortes. Boa!

Mané

Eu elogio, mas não deixo nunca de criticar. Marcelo Teixeira, meça suas palavras, seu mané! Como é que você fala que o Andrés está nervoso, mas vai ficar mais calminho depois da peixada que vai almoçar??? Você está de brincadeira? Ainda por cima temos clássico no domingo. Tá de sacanagem!

Funk do Eller

Depois de todo rolo envolvendo Eller, o torcedor parece poder ficar tranqüilo quanto sua próximas atuações. Os jogadores deram muito apoio ao zagueiro e o próprio jogador diz ter ficado feliz em poder ficar. Ainda sim, não renovou seu contrato como a diretoria queria, mas até o fim do ano isso pode mudar.

Mas algo inusitado aconteceu, Neymar fez um funk para homenagear nosso camisa 6. E o Brum, que é um gênio (acho que ele deve ser o cara mais engraçado dos últimos anos entre os jogadores para entrevistar), foi para coletiva com o Eller e apresentou a música com coreografia e tudo para imprensa.

É isso aê! Vai, Peixe! E quem nunca viu Fabiano Eller???

Cadê os laterais?

E aí Véio? Blz?

Mais ou menos... aqui não posso dizer tudo que tenho vontade após um jogo como o de ontem. Seria injusto com vocês passar toda a raiva que senti assistindo. E hoje vejo a declaração do Sr. Luxa, "a torcida não apóia o time como deveria." Não foram com essas palavras... mas foi algo assim.

Sr. Luxa, nós somos torcedores, e como tal somos emotivos, se o time mostra garra, nós acompanhamos e vibramos com isso. Quem é o Sr. para falar da nossa torcida... se o Sr. puxar pela memória, vai ver que nós vibramos com times piores, mas que mostravam muita raça e vontade de ganhar. Gritamos o nome do Tonhão (acho que foi 1993 ou 94) - que era reserva, mas quando entrava, mostrava toda sua vontade de jogar, mesmo com pouca técnica. Então, por favor, procure novas desculpas para os erros dos seus comandados.


Falta de Laterais

Como um time pode jogar bem sem bons laterais? eu acho difícil, a não ser que tenha um meio de campo fantástico. Os caras não treinam, e se treinam não aprenderam nada, pois no jogo não conseguem cruzar uma bola na cabeça do atacante. Isso poderia mudar a história de qualquer jogo.

Eu tive uma idéia... assim como há treinador de goleiros... devemos contratar o Arce para treinar os laterais... 10 lições... de como cruzar uma bola na cabeça do atacante. Basta uma por jogo e nós vamos apoiar o tempo todo.

Palmeiras Campeão da Libertadores 1999

abraços,
Luiz Cláudio

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Jogo "Pegado"

E aí Véio? Blz?

Se tem uma coisa que eu gosto, é ver jogo de Libertadores. Se o juíz não for brasileiro, é melhor ainda. Os caras não dão qualquer falta e o jogo fica “pegado”. Tenho dó dos “cai-cai” (Dagoberto, Washington e um monte de deles). É muito engraçado, eles caem com aquela cara de “chorão”, e o juíz (muito educado) faz o gesto com as mãos e diz em bom espanhol “arriba caraco! bamos rogar!” - traduzindo “levanta porra! vamos jogar! para de chorar... fdp”.
Ontem, assisti o jogo do Cruzeiro 2 x 1 São Paulo. Foi um jogo duro. O Cruzeiro foi prá cima e os bambis se defederam... atacaram pouco. O Kléber “Gladiador” ficou muito cai-cai, e o Miranda se saiu muito bem e não o deixou jogar. Acho que o placar foi justo.

PALESTRA EM CAMPO HOJE À NOITE!

Temos que tomar cuidado com o tal Biscayzacú. O cara tem feito muitos gols. Então vamos tomar cuidado.Não podemos tomar gol.Temos que repetir o melhor jogo do Verdão na Libertadores, que foi contra o Colo-Colo (no Chile). Marcação forte e saída rápida para o ataque. Na ocasião tivemos muitas chances de fazer gols, mas só o do Cleiton Xavier nos salvou.

Dica pros “cai-cai”, principalmente o Fabinho Capixaba: - ISSO É LIBERTADORES... NÃO TEM CAI-CAI... VAI PRÁ CIMA E GANHA ESSA PORRA. “ARRIBA CARACO! BAMOS ROGAR!".

Força Palestra e boa sorte!


Abraços,
Luiz Cláudio

Só mais um detalhe: o vídeo que foi feito da “Segunda Pele” ficou muito legal. Então hoje é dia de mostrar que vestimos a mesma camisa (a do Verdão é claro!!!)


quarta-feira, 27 de maio de 2009

Irresistíve, fantástico, "triplete"! O melhor time do mundo!

Amo meu time e sempre o defendo com unhas e dentes. Mas tem coisa que é assim, que a gente tem que tirar o chapéu mesmo, pois tem que reconhecer a superioridade do outro. Nós santistas sabemos como é isso, principalmente os mais velhos, nós temos em nossa história aquele que é indiscutivelmente o maior jogador de todos os tempos e o maior time de todos os tempos, uma linha de ataque ímpar, implacável. E isso é reconhecido por todos, por mais que possa doer em alguns rivais.

E é assim que eu acho que temos que ver o Barcelona. Um clube que sustentado pelos sócios apenas, que pode se dar ao luxo de rejeitar propostas milionárias de patrocínios de camisa e ainda estampa o logo da UNICEF para aumentar a visibilidade da instituição, não é qualquer time, não pode ser considerado qualquer time. Temos que olhar de forma diferente.

A temporada 2008/2009 é a coroação da história desse time fantástico, um ano onde o Barça conseguiu todos os títulos possíveis dentro dos limites europeus. "Triplete"! Campeão Espanhol, Copa do Rei e da UEFA Chapions League. Tríplice coroa do Barcelona, fantástica e incrível! E o último título, que foi hoje, agora a pouco, foi sobre excelente time do Manchester United, time do arrogante e enganation Cristiano Ronaldo. E para o Futebol o resultado não poderia ser melhor, pois o Barça mostrou que o ataque pode e deve superar a defesa.

O Barça fez mais que 140 gols nessa temporada e tem o melhor do seu time o ataque: Messi, melhor do mundo, Eto'o, Henry, Iniesta, Xavi, que time... que time!!! Outra coisa legal do Barça é ter 7 pratas da casa em campo. Impressionante! E jogou muito hoje o Barça em Roma, meteu 2 e poderia ter metido 5 que seria mais razoável com o que foi o jogo. E o mais legal, depois que a máscara do Ronaldo Gaúcho foi embora, o Barça ficou leve e tem seu ano mais vencedor. E tenho dó de quem vencer a Libertadores, pois se continuar nessa toada, em Dubai, o Barça atropelará todo mundo.

Parabéns ao Barça! Parabéns a sua torcida e seus sócios! Parabéns ao Guardiola, que chegou e botou esse time para jogar no All Off! E como disse o narrador da ESPN, que eu não lembro o nome, mas que receber coro de Trajano e PVC, OBRIGADO, BARCELONA!!! OBRIGADO!!! Você jogou um Futebol com F maiúsculo! Um futebol do jeito que a gente gosta de ver, pra cima, atacando! Você, Barça, deu uma lição a todos os outros times, uma lição que mostra como é importante ter uma categoria de base forte, mesmo estando na Europa, e que é muito melhor um futebol solto, que marca no ataque e que não fica lá acuado, esse é o futebol que dá espetáculo, de muito gols. Obrigado, Barcelona!

terça-feira, 26 de maio de 2009

O Sol só aparece entre nuvens na baixada

Pois é, é assim que vejo as coisas lá na Vila. Tá difícil de abrir aquele céu azul mandando para longe todas as tempestades. Chega de turbulência, o ano que não quis passar passou e espero que não volte nunca mais.

A perda do título para o Corinthians foi sentida num primeiro momento. Olha, é difícil! O Santos poderia ter vencido tanto o primeiro quanto o segundo jogo, não deixo devendo para ninguém. O time de Parque São Jorge também mereceu o título, mas da forma que foi conquistada dá aparência que o time está voando e a verdade é que está longe disso, principalmente tendo um baita peso para levar. O último jogo no Pacaembu foi demais até sair o empate corinthiano. Até ali não tinha como não acreditar, o time do Santos voou para cima, ALL OFF! Mas não deu e depois do gol o time não conseguiu manter o fôlego.

Mas até que foi bom, pois nossos jogadores não correram o risco de acabarem queimados. Hehehehehe

O clima na Vila foi estranho pósfinal. Mas a vida precisava continuar e o trabalho de Mancini já mostrava bons frutos a serem colhidos. Em pouquíssimo tempo, ele deu padrão de jogo, deu cara de time ao nosso Glorioso Alvinegro Praiano. E a expectativa sobre o Brasileirão aumentou, como não poderia deixar de ser. E logo de cara pegamos uma de nossas pedras no sapato, o Grêmio e no Olímpico. Aliás, tem três times que o Santos não dá sorte: o tricolor gaúcho, o tricolor carioca e o Goiás. E essa foi a seqüência, quer dizer, invertendo o Goiás com o Flu, foram os três primeiros jogos do Peixe no Brasileirão.

A estréia foi ótima lá no Sul. O Santos encarou o Grêmio de igual para igual e criou muitas chances, claro que se desguarneceu também e permitiu que o Grêmio levasse muito perigo ao gol do Fábio Costa. Foi um jogão. Terminou 1 a 1 com dois golaços! O de empate do Santos foi uma pintura de Mad Molina. Aliás, eu não entendo a coisa de quererem tirar o cara da Vila, a torcida gosta muito dele e só falta darem mais oportunidade. É um baita meia e importantíssimo para compor o elenco, na falto do PH é substituto imediato e em alguns jogos pode jogar de titular.

Mas na seqüência pegamos nosso maior carrasco, o Goiás é algo indigesto para o Peixe. Cara, nunca vi o Santos ter tanto azar com um time como é com o Goiás, ô esmeraldino do inferno. Jogo na Vila, Pelé no camarote dele, o time voando, em pouquíssimo tempo já estava 2 a 0 pro Santos, fácil, fácil. Aí o Goiás fez um gol, só para constar mesmo, pois no início do segundo tempo o Santos fez o terceiro, parecia que ia dar goleada. Mas não foi assim. Tomamos dois gols besta por termos recuado demais e por perdemos um caminhão de gols feitos, principalmente e sobretudo com o Kleber Pereira. A torcida vaiou e brigou com quem não devia.

Acho que na Vila também temos, tal qual no Porco Itália, uma turma forte do amendoim. Chamar o Madson de corinthiano e cobrar dele mais empenho é burrice sem tamanho. O Madson é sem dúvida o jogador mais importante para o time hoje e está cheio de crédito. Espero que ele não fique chateado e entenda que o protesto contra ele foi de uma pequena turma de infelizes.

Depois, durante a semana que antecedia o jogo contra o Flu, o Santos perdeu o Filé. O grande fisioterapeuta alega ter se irritado com a notícia publicada pelo jornal Tribuna que ele fazia operações espirituais nos jogadores. Ele diz que isso partiu de dentro da diretoria e que ‘alguém’ não o queria mais por lá. Esse será um desfalque significativo, Filé é sem dúvida uma peça fundamental para que o CEPRAF seja o melhor centro de recuperação e prevenção de lesões do Brasil. É só lembrarmos o trabalho que ele desenvolveu com o Maikon Leite, pô, não tem o que falar.

Aí para fechar a semana começam a ventilar a saída do Fabiano Eller. Até aí vamos ver o que é que querem, né? Mas o que ofereceram foi uma piada de muito mau gosto: uma troca pura e simples de Elle por Wagner Diniz do São Paulo. Às vezes eu penso que o São Paulo se acha o mais espero do mundo. Vamos entender, eles queriam um baita zagueiro, canhoto, técnico, que é titular de nosso time, que é campeão da Libertadores e do Mundo e em troca eles dariam um lateral encostado na Vila Sônia e que ainda não desencanto, no máximo fez uma apresentação individual de destaque no caído Vasco da Gama.

O Santos queria o negócio, pois daria um alívio da folha salarial e resolveria o problema da lateral direita. Mas calma lá, resolveria o que cara pálida? Quem disse que o cara iria resolver? E com certeza o São Paulo se daria muito bem, já que está com problemas crônicos de lesões na zaga e deve perder o Rodrigo no meio do ano. Quer dizer, além de se desfalcar, o Santos ainda reforçaria um adversário direto. Só podem estar brincando, não é mesmo?

E nesse turbilhão de más notícias e problemas, o Santos foi ao Rio pegar o Flu. O Santos não vencia no Maraca há quase 6 anos. E logo no começo do jogo, mesmo com o Santos saindo bem para o jogo, o tricolor carioca marcou primeiro e eu pensei que o leite iria azedar mesmo. Mas eu confio no Santos, pois uma coisa é muito certa, tirando o jogo contra o Paulista, ainda na fase classificação do Paulista, depois que o Mancini assumiu, o Peixe sempre jogou bem, se apresentou bem, tem um problema sério ali para fazer os gols, mas ainda sim, sempre jogou muito, mas muito bem. E dessa vez os gols saíram para nossa alegria, até porque o time do técnico Parreira é ruim demais e o tal técnico é freguesão do Peixe. Jogou com nóis é trolha na certa.

Em exibição inspirada de todos, o Santos virou e goleou o Fluminense por 4 a 1. No início da semana, o caso Eller começa a ser contornado e a diretoria já ofereceu um contrato maior ao atleta. Outra notícia que, ao meu ver, é boa, é a saída do Bolicenho, diretor de futebol. Não sei, não gosta muito dele. Dizem que o relacionamento dele com Durante e Mancini não era bom também e me parece que ele encabeçava quem negociava a saída do Eller, uma vez que Mancini e Durante nem cogitavam tal hipótese.

Mas vamos ver se agora sai Sol lá pelos lado da Vila, que isso não seja só uma abertura entre as nuvens, que elas passem agora e que o Peixe reencontre de vez o caminho das redes e de uma boa administração. Ah... e boa administração não é voltar com o Capela para o lugar deixado por Bolicenho como estão ventilando por aí, viu, seu Marcelo?!

Como diria Tim, o Maia, sai chuva!

Um novo tempo

Caramba! Muito tempo sem postar. Mas é isso aí, foi um acúmulo de coisas. Primeiro foi o inchaço do Paulistão perdido. Cara, fiquei mal aquele tempo, tempo longo e complicado até o início do Brasileirão. Fiquei triste como não ficava desde o vice para contra o Botafogo em 1995. Sim, acho que fiquei triste igual. Nos dois casos o Santos tinha grande chance de ser campeão, mas vacilou e acabou perdendo o título.

Depois acabou ocorrendo mudanças aqui no trampo e ficou muito difícil de postar. O big boss ta sempre de olho no telão agora. Telão mesmo, o meu monitor é maior que a TV que eu tinha no meu quarto, não sei para que esse exagero. Acho que é só para me delatar mesmo.

Mas enfim, eu estava com umas idéias na minha cabeça sobre o rumo deste blogue. Eu não queria mais escrever sobre assuntos diversos, gostaria de dedicar de uma vez o espaço apenas para o esporte em geral, principalmente ao esporte bretão. Mas algumas coisas algumas coisas eu tinha que definir para fazer isso. Uma coisa para mim era certa, eu não escreveria mais esse blogue sozinho, queria que fosse um espaço compartilhado por outros torcedores também.

Conversei com o Cristian, meu grande amigo da faculdade e corinthiano, que topou a empreitada. Um dia fui a casa de minha vó, pois já devia uma visita, e conversei com meu tio Luiz Cláudio, que é palmeirense verde, e estava com a idéia de fazer um blogue para falar de futebol também. Meu trabalho de seleção de novos blogueiros estava feito e hoje eles já podem postar. Faltava ainda eu dar um jeito na cara do blogue, pois tinha meus antigos textos, tinha meu perfil e eu precisava tirar essas coisas. Na verdade, ainda estou mudando e reestruturando e por isso ainda não tinha postado nada novo. Mas está quase lá. Já tirei os textos, criei o Bolapromato 9 – Classic. Um blogue para eu continuar a escrever sobre coisas que me motivaram a entrar no mundo dos blogues.

E agora já começamos a postar em conjunto, pretendo dar aquela passada a limpo nos jogos do Peixe e na Fórmula 1 e daí para frente, os blogueiros vão postar a cada jogo e algo relevante como foi a incrível pixotada da diretoria do Palmeiras ao contratar Barack Obina!

O blogue ainda pode ter alguma dificuldade de acerto, pois um dos blogueiros se encontra em terras ianques e deve ter dificuldades em postar e ainda não temos um representante do Morumbi. Mas daqui para frente, o Bolapromato 9 será dedicado exclusivamente ao mundo esportivo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

OBINA no VERDÃO

Eh Véio... não sei o que responder!! Parece ser uma coisa absurda a contratação do Obina, mas os artilheiros do Verdão nos últimos tempos, nem vamos comentar do Keirrison, que começou muito bem e agora está com uma “urucubaca” do caramba. O último que nos fez muito feliz, e tinha uma identificação foi o Vagner Love. Ele marcou 44 gols em 77 jogos (2003 e 2004), e foi artilheiro da Série B em 2003, com 19 gols (e eu acredito que não subiríamos se não fosse os gols dele), e do Campeonato Paulista no ano seguinte, com 12. Depois disso, foram vários, que não deixaram saudade nenhuma... tanto que nem lembro o nome deles...


Todos os centroavantes que vieram para o Verdão, vieram porque marcavam muitos gols em seus antigos clubes, e até começavam bem, mas depois esqueciam o caminho do gol. E nós torcedores tínhamos que contar com os zagueiros artilheiros.


Agora... vem o Obina, que está sem fazer gol a muito tempo!!! (rsrsrs... desculpe... não consegui controlar)... mas o mundo do futebol tem muitas surpresas (e eu estou torcendo muito por isso... também não tenho outra coisa a fazer)... mas vamos imaginar:

- Jogo difícil... empatado... aí o Luxa chama o Obina... vaia da torcida e o estádio inteiro grita “- Burro! – Burro!”. Ele entra no jogo... 40 minutos do segundo tempo. Bola lançada pro Wendel (aí ele encorpora o Arce)... vai à linha de fundo e cruza... pra quem? quem? Ortigoza (é claro)... que desvia e a bola vai direto na cabeça do Obina... que toma um susto quando a bola entra. Nem ele acredita... e o estádio vem abaixo... Virada do Verdão... Sensacional!!! o barulho é ensurdecedor! “P.Q.P... o Obina é o melhor centroavante do Brasil!!!”.


Palmeirenses... tenham fé... quando ele fizer o primeiro gol... vai ser um monte... diferente dos outros que faziam muitos gols antes... ele vai fazer agora!... que seja no susto mesmo!!!


Força Palestra! Com Obina e tudo... abraços,


Luiz Cláudio


PS.: Desculpe... além do Vagner Love... outro que deixou saudades foi o Kléber (Cruzeiro)... quanto aos outros... é melhor nem lembrar.