quinta-feira, 3 de abril de 2008

Liberdade ao CRÉU!

De boa, querem fazer do futebol um jogo igual ao tênis, ao golfe. Só posso pensar que é isso o que querem fazer. Agora estão preocupados com as comemorações. Pô... qual o problema do jogador fazer a dança do Créu após marcar um gol? O jogador só tem que estar ciente que isso pode de certa forma ser um estimulo ao adversário, que pode querer retribuir o gracejo. Como aconteceu no jogo Palmeiras e Rio Claro, onde o Valdívia marcou um gol, fez o créu e o time do interior conseguiu o empate. Hahahahaha... Aí o chileno ficou com cara de quem tomou um crau! Hahahahaha...

Tem gente que critica a comemoração do Créu pela música. Tudo bem... Concordo que é uma bosta. Mas ela nasceu com esse intuito, é uma bosta mesmo, acredito que nem o criador dessa joça reivindica que seu nome fique entre os grandes gênios da MPB. É uma música que é só de zoação, como todo funk, o que importa apenas é a batida para fazer a galera dançar. E claro que uma vez que essa música fosse mais conhecida, muitas outras piadas surgiriam, até porque é impossível não fazer piadas com ela. A comemoração com créu é zoar, extravasar mesmo.

Outras pessoas criticam a comemoração por ser provocativa. Pára! Tirando as comemorações onde os atletas apenas saem vibrando e gritando gol, todas as outras são provocativas. E por que não poderiam ser? Tem que ir lá tirar sarro mesmo, oras o futebol está baseado nisso. E tem que agüentar a onda também no dia em que o troco vier. A brincadeira faz parte do esporte e é uma das coisas que alimenta a paixão pelo jogo. Tem que fazer créu, tem que imitar os chorões, fazer o porco, matador... qualquer coisa é válida, desde que não haja desrespeito ao adversário, pois senão pode acabar em briga. Agora, o que o Botafogo pode reclamar, caso o Souza do Flamengo saia fazendo o choro quando marcar um gol? Não pode reclamar nada, ninguém mandou fazer toda aquela cena ridícula após a derrota no final da Taça Guanabara (aliás, o campeonato carioca é digno de um post! É de dar dó na verdade).

A brincadeira no futebol é normal e tem que ser tratada de forma sadia. Isso é uma das coisas que tornam o futebol tão demais! Pelo menos pra mim. Por favor, que os politicamente corretos e os puritanos fiquem bem longe do futebol... E que a CBF engavete o projeto que faria com os árbitros punissem as comemorações de zoação. Que puna apenas os sem noção que não sabem o limite da brincadeira.

Os precursores do Créu (é sempre no Rio, e isso temos que reconhecer, as torcidas de lá são bem mais criativa dos que a daqui de SP)



E a criatividade do brasileiro realmente não tem limites... hahahahahahaha

2 comentários:

Lia Lee disse...

Meu, nada é mas gostoso do que gritar uma sacanaginha pra quem perdeu. É o que dá mais emoção, é o que torna tudo mais apaixonado.
No boxe, os lutadores podem até ser amigos, mas sempre começam se destruindo verbalmente. Tem que ser muito mala pra ver maldade nisso!
Tem lugar pra ser edcadinho e tem lugar pra botar pra foder, né?
Por favor!!!

André Henriques disse...

Pior é agora que o cara saiu comemorando imitando uma bebê chupando o dedo e o árbitro já meteu amarelo no cara.

Tem que comerar, pô! O gol é momento máximo do futebol e tem que zoar mesmo!