segunda-feira, 24 de março de 2008

Jogando pela raça, mas ainda falta muita técnica e tática

Após vários jogos em casa, o Santos fez uma verdadeira maratona de jogos longe de seus domínios. A jornada do Santos se iniciou numa vitória apertada contra o São Caetano na semana passada, em Santo André, já que o Anacleto não foi liberado para jogos ainda. Em mais um jogo de muitos gols perdidos o Santos conseguiu fazer um gol esquisito com o Kléber Pereira. O artilheiro era conhecido lá no Paraná como 5 por 1... Agora começo a entender o motivo. O fato é que a vitória foi muito importante, pois foram o primeiros 3 pontos conquistados longe da Vila. Com as vitórias seguidas, o time ganhou confiança e garra. Isso foi muito bom.

No entanto, só confiança e garra não são o suficiente para um time conquistar vitórias. E o Santos viajou apenas com isso na bagagem para Oruro (3.700 m de altitude), na Bolívia, para jogar contra o San Jose. A altitude realmente atrapalhou o time... dizem que atrapalhou até o presidente boliviano, Evo Morales, que teria levado jogo um cilindro de oxigênio... Evo é torcedor do San Jose... Porém, o time do presidente é muito fraco e o Santos poderia ter trucidado o time lá se tivesse mais pontaria. KP e Sebatian animaram a torcida santista ao fazerem bela jogada logo no início do jogo que resultou no primeiro gol da partida. Mas logo o Santos levou o empate e a virada veio numa bobeira incrível da defesa no segundo tempo. Aliás, o Santos voltou muito mal pro segundo tempo por culpa do senhor Leão que arma mal de mais o time. Pra mim, tinha que dar linha já! Muito ruim... Não tem condição nenhuma, acho que desaprendeu.

E de cabeça inchada, o Santos viajou pro interior paulista pra pegar o líder do Paulistão, o Guará. Mesmo cansado e ainda meio balançado com a derrota para o San Jose, o time entrou com muita personalidade em campo ontem. Correu, marcou, criou, mas novamente faltou pontaria. Wesley perdeu um gol incrível no início do segundo tempo. Falta técnica dentro de campo e falta técnico fora dele pra arrumar melhor o time. Leão voltou a fazer alterações lamentáveis. Mas o time mostrou garra e confiança novamente e com um golaço de Marcinha Guerreiro (acreditem, Marcinho Guerreiro, o salvador!), o Santos bateu o Guará, no melhor jogo da rodada.

Se o time tivesse um pouco mais de calma e um melhor comandante, com certeza voltaríamos pra Vila com esses 9 pontos, não apenas com 6. Mas tá bom, não dá pra reclamar. Continua vivo o Peixe no Paulistão e com total condições de se classificar pra segunda fase da Libertadores.

E olha... apesar de eu não acreditar na classificação, estou contente em ver a reação. O Santos está a 5 pontos do primeiro lugar e a 4 pontos da classificação e vai pegar o Corinthians, na Vila, na quarta, e pode embolar de vez o campeonato. Mesmo se não classificar, pelo menos o Santos deixou emocionante essa reta final do Paulistão.


A choradeira

Impressionante como ultimamente os perdedores estão chorando. Será que os times não percebem que estão mal mesmo? Será que a arrogância não permite isso? O São Paulo tem sido o mais chorão mesmo. Foi a gota d’água o Choque Gay (Choque Rei pra falar a verdade, mas é muito o gay o nome desse clássico, né?!). O Marco Aurélio Cunha, superintendente do São Paulo, chorou em quase todos os programas de futebol por causa dos três pênaltis marcados contra o São Paulo. Chegou a cometer a imbecilidade de brigar com a imagem!

O São Paulo por não conseguir vencer o jogo, levou a disputa pro tribunal desportivo indiciando o bom atacante Kléber por uma cotovelada em André Dias. O tribunal pelego do São Paulo acatou o pedido e puniu o jogador com três jogos (não joga mais a fase classificatória, bom pros time que disputam uma vaga ainda). E o tribunal é pelego porque indiciou o Kléber e não indiciou junto o André Dias, que recebeu a cotovelada, mas bateu antes, sendo assim, a cotovelada foi apenas um revide.

O São Paulo tinha é que admitir que tá com um timinho ridículo, jogando um futebol bizarro, do que ficar colocando culpa em arbitragem. Tinha que assumir em público que trazer Adriano e Cazalbé foi um tiro n’água. A diretoria bambi parece que também foi junto com a diretoria santista fazer o curso intensivo de má-administração de clubes de futebol com o Professor Doutor da Universidade Hermano-Russa de Picaretagem Internacional, Alberto Dualib.

Mas o que não pode continuar é o choro! Que os diretores e presidentes de times trabalhaem direito e honestamente pra verem seus times melhores.

Abaixo dois áudios em homenagem ao chororô bambi. Um é o melô do choro é será postado sempre que algum time ficar com essa putaria. E o outro é um áudio de humor antigo do pessoal do Estádio 97, num Choque Gay onde o Edmundo foi causador de um lance polêmico.





Coisas de time tricolor

Pois é... depois dizem que é perseguição... hahahahaha... O vídeo eu não postarei no blog e só deixei no link porque contém cenas muito fortes que não combinam com o blog. Créditos do vídeo vão pro Nersão que achou esse documentário que não deixa dúvida nenhuma sobre a realidade... hahahahaha...

Fluminense e São Paulo... só andam bambiando mesmo...

http://br.youtube.com/watch?v=XTyRZfJL30I



sexta-feira, 14 de março de 2008

Reforços e prejuízos

Na partida de ontem contra o Mirassol, o Santos contou com um reforço de peso. O lateral Kléber retornou ao time e jogou o tempo inteiro. Não foi lá uma partida brilhante, mas temos que lembrar que ele ficou praticamente um mês e meio parado. Foi bom ver o Kléber em campo, porém é bom o DM abrir o olho e começar a trabalhar direito. O lateral ficou muito tempo parado esperando a decisão da operação e isso fez com que seu retorno também demorasse, um baita prejuízo pro time que joga com um elenco contado a primeira fase da Libertadores (pra quem não sabe, a Libertadores tem limite para inscrição de jogadores, apenas 25, diferentemente do Paulistão e do Brasileiro que não possuem limites de inscrições).

Enfim... bom que ele voltou e bom que ele desabafou ontem também. A imprensa já estava enchendo muito o saco, pois parece que ela queria de qualquer forma tirar o jogador do Santos. Aliás, o Leão atrai essas coisas. O Santos já não conta com a simpatia da imprensa em geral, mas, quando o Leão tá lá, a quantidade de boatos criados triplicam! É brincadeira! E nessa onda de bobagens da imprensa, falaram que o Kléber tava de corpo mole e não tava mais a fim de jogar, por isso estaria ‘chinelando’. O Kléber possui apoio incondicional da torcida, que gritou o nome dele ontem e não caiu nesses papinhos.

Bom... mas acho que o grande prejuízo dessa semana ficou por conta da negociação confusa do Rodrigo Souto. Como eu disse, a Libertadores possui limite de inscrições. E só é possível substituir um jogador, caso o time venha a se classificar pra próxima etapa da competição. A diretoria do Santos, mostrando novamente sua baixa competência em planejamento, negociou Souto com o Lokomotiv da Rússia. Realmente era um valor irrecusável (6 milhões de euros, mas de 15 milhões de reais), mas o Santos teria um grande desfalque.

No entanto, a diretoria mostrou que, além de não saber planejar, não sabe negociar também. Depois de deixar o jogador partir para o Rio e quase embarcar pra Rússia, vem a informação que o Lokomotiv preferiu fechar com outro jogador por um valor menor. Mas como assim? O Santos permitiu que o jogador fosse afastado do elenco sem assinatura da rescisão de contrato e sem o dinheiro no bolso??? Isso é ridículo e ninguém tá falando isso! Temos que lembrar é desse fato: a diretoria incompetente não tinha fechado negócio e mesmo assim liberou o jogador. Era capaz até de o time russo tentar dar um chapéu no Santos e nem pagar nada. O Santos liberou o jogador sem nenhuma segurança de que o negócio tava fechado... PQP!!! É LAMENTÁVEL DEMAIS!!! Marcelo Teixeira, se você é santista de coração, pede pra sair!!! PEDE PRA SAIR!!!

E nem vem falar que isso é normal de acontecer, dos valores serem acertado depois! Isso é babaquice! Ainda mais um negócio desses com um time da Rússia... vai saber as origens dessa grana. O Santos não se desfalca pro restante do primeiro semestre (agora é que o Souto não fica até o fim do ano), mas ganha dois prejuízos: um financeiro, pois já tinha começado a se mexer de acordo com a grana que receberia; e o outro prejuízo fica por conta da motivação do jogador, que está frustrado pela negociação que melou.

Realmente, a maré não tá pro Peixe... e diretoria parece que ainda quer ajudar a afogar o time...

Do Guarani ao Mirassol, o que salvou foi a Vila Belmiro!

O Santos conseguiu somar muitos pontos nos últimos jogos. Arrancou no Paulistão e praticamente deu adeus ao rebaixamento e chega até timidamente a dar ‘oi’ ao G4. Claro que eu não acredito na classificação, mas que ainda é possível é. Mas seria O acontecimento, caso o Santos venha a se classificar!

Mas sem devaneios, a única coisa que é realidade na vida do Santos esse ano é que nada será fácil. Leão, que eu gostaria sinceramente que fosse embora, não consegue armar um time direito por dois motivos: o primeiro é que temos muitos jogadores no DM; o segundo é que ele ainda não sabe realmente com quem pode contar. O elenco do Santos está inchado demais e ninguém quer ser negociado. Um absurdo, como é que um jogador pode preferir ficar parado ao invés de ir jogar em outro clube pra mostrar seu valor? O Santos quer emprestar alguns jogadores para clubes menores pra disputar os Brasileiros da série B e A, mas os caras preferem ficar lá de boa, mesmo sem jogar. Lamentável!

Além dessas situações complicadas, Leão também não encontrou um esquema tático ideal. Abandonou o teimoso 3-5-2, mas caiu, na minha opinião, pra um também equivocado 4-3-3. Acho que o Santos não tem qualidade ofensiva pra jogar assim. Kléber Pereira tem que jogar de centroavante com alguém fazendo a movimentação pra tirar a marcação e com dois meias alimentando esse ataque com bons passes.

Nesse 4-3-3, o Santos ganha muito em correria, marcando lá na frente com o Trípodi e o Wesley. Já contra o Guarani foi assim, mas não vou voltar a esse jogo, pois já comentei. No jogo contra o Ituano, na Vila, no dia 24 de fevereiro, o esquema foi repetido, o Santos marcou um gol no início do jogo e logo sofreu o empate com Evaldo - que deveria ser mandando embora por deficiência técnica - entregando um gol e depois sendo expulso. Porém, com a saída do bisonho jogador, Leão teve que tirar Trípodi e colocou o Domingos pra recompor a zaga. E isso surtiu um efeito muito bom no time, pois o ataque ficou mais leve e o Santos fez 4 x 1 numa partida muito boa de Molina, que fez um gol e deu vários passes. Acredito que essa tenha sido a melhor partida do Santos no ano.

Depois, no dia primeiro de março, o Santos foi jogar contra o todo poderoso Sertãozinho, fora de casa. Um fiasco! O time jogou novamente no 4-3-3, mas apresentou um desânimo terrível, voltou a perder gols mais que feitos e, depois que tomou o gol, o time parou de vez e não conseguiu reagir. Resultado: 1 x 0 pro Sertãozinho e uma ducha de água fria após duas boas vitórias.

O Santos deu um tempo no Paulistão e, no dia 04 de março, fez sua primeira partida em casa pela Libertadores contra o Chivas, time mexicano, base da seleção mexicana e semifinalista da Libertadores passada. O time voltou a não apresentar um bom futebol, mas num lance individual de Molina, o Santos conseguiu fazer o gol que lhe deu a vitória. O time do Chivas pouco atacou também e respeitou muito o Santos por estar na Vila Belmiro.

No domingo passado, voltando ao Paulista, o Santos bateu o bom time do Noroeste, na Vila, em um jogo emocionante, pois o Santos tá gostando de dar muitas emoções aos seus torcedores. O time fez dois gols logo no começo e deu a entender que meteria uma sacolada, mas logo diminuiu o ritmo e o Norusca fez um gol em uma jogada que é a grande arma pra quem quer ganhar do Santos: bola cruzada na área. Aliás, fez um gol assim no primeiro tempo e no segundo tempo empatou assim. Um gol no segundo pau e o outro no primeiro pra não falar que é só em um dos lances que a zaga vai mal. No entanto, o Santos fez valer o peso da Vila e chegou a mais um gol, num pênalti que existiu, mas que a marcação ficou muito confusa. Resultado: Santos 3 x 2 - esse resultado foi um sai uruca pessoal, em nenhum dos jogos que tinha assistido na íntegra esse ano, o Santos tinha vencido... SAI ZICA!. Nesse jogo, novamente o Santos jogou no 4-3-3, mas ao invés do Trípodi, Pinto foi a campo.

Pinto que também foi a campo no jogo de ontem contra o Mirassol, ‘em’ Vila! O Santos por necessidade, já que Wesley estava suspenso, jogou no 4-4-2, com o Paulo Henrique na meia. O time foi bem, mas o ataque perdeu gols bisonhos, principalmente com Pinto que estava sem pontaria e mole (se o Pinto jogasse contra o São Paulo, até teria mais sorte, pois se saísse cara a cara com Rogério, certeza que o goleiro bambi daria uma mãozinha até a bola entrar! Hahahahahahahahahaha... é impossível não fazer piada com o nome do jogador! Vamos chamá-lo de Sebastián mesmo). Mas a verdade é que o jogador perdeu um gol incrível, sem goleiro... era só fazer. No segundo tempo, ele e o PH saíram pra entrar Trípodi e Renatinho e time voltou ao 4-3-3. Logo saiu o Molina casando pra entrada de Victor Júnior. Aos 35, o Mirassol faz o gol manjado no Santos com a bola cruzada e cabeceio no segundo pau. Mas com bom público na Vila, o Santos, que jogava com a nova camisa azul, reuniu raça novamente e empatou com Marcinho Guerreiro, em um belo chute de fora da área (pasmem! Marcinho Paulada e Betão possuem um aproveitamento de gols que nunca tiveram antes em suas carreiras, tem coisas que só o Santos faz!). E depois, em novo pênalti existente, mas difícil dos árbitros marcarem, o Santos virou com Kléber Pereira.

Com isso, o Santos consegue pela primeira vez no campeonato aparecer na parte de cima da tabela e, como eu já disse, chega a dar um ‘oi’ ao G4. Difícil classificar, mas... não custa sonhar em milagres. Mas o milagre realmente parece ser de difícil realização, pois milagre só existiria se o Santos só jogasse na Vila. A verdade é que ela foi decisiva nesses jogos. Principalmente nos três últimos. O Chivas se amedrontou por jogar na Vila, e os pênaltis contra Noroeste e Mirassol, apesar de serem de fato pênaltis, só foram marcados porque os jogos foram na Vila. Fora que a torcida foi fundamental pra empurrar o time. Outra coisa também que fica clara, é a raça que a Vila dá aos jogadores, colocarei os gols no fim do texto. A gente pode ver que os gols que o Santos marca são gols mais de raça ou de talento individual, do que de uma jogada coletiva. Isso mostra que o Santos ainda não joga como um time, mas que, dentro da Vila, cada jogador consegue se desdobrar com o apoio da torcida.

Nessas horas fica até difícil argumentar que o Santos deveria sim aceitar o projeto de um novo estádio, pois será difícil o novo estádio possuir o mesmo esquema que possibilite a torcida exercer tal pressão durante os jogos.

Enfim... a Vila tem transmitido raça aos jogadores e, longe dela, o time se mostra apático demais, por isso acredito que o Santos não classifica no Paulistão. Porém, o fator Vila pode ser fundamental às pretensões do Santos no campeonato brasileiro e na própria Libertadores.










Ah... e pra finalizar... o porquê de eu achar o Santos com deficiências no ataque.